As novidades chegam primeiro aqui.
Grupo Tectonny

Saúde e Beleza

Saiba decorar quartos de adolescentes

Bruna Bessi

Abuse de recursos decorativos relacionados ao estilo de vida do jovem e invista em móveis práticos e funcionais

Adolescentes costumam usar o quarto como um verdadeiro refúgio. E é por isso que tal ambiente precisa de uma decoração compatível com a sua personalidade. Mas esqueça das fórmulas temáticas. O espaço deve contar com elementos diversos que ressaltem o gosto e o estilo de vida do adolescente – objetos relacionados à música, por exemplo, podem ser um caminho. “A decoração será um retrato de sua rotina. É fundamental haver um lugar para estudar, ouvir música e receber os amigos”, afirma Elaine Gonzalez, arquiteta do UMM Arquitetura. “Além disso, incluir itens práticos e funcionais no mobiliário é uma boa ideia. Pufes, futons, prateleiras, nichos, bicamas, baús, almofadas e sofás funcionam muito bem.”

Leia mais: Quarto: 16 erros para evitar no projeto

Elementos presentes no dia a dia do adolescente devem estar na decoração do quarto. Marta Calazans investiu na estética urbana e usou um papel de parede com grafite

Elementos presentes no dia a dia do adolescente devem estar na decoração do quarto. Marta Calazans investiu na estética urbana e usou um papel de parede com grafite

Foto: Divulgação

Cores neutras são vantajosas por equilibrarem a harmonia do ambiente. A marca Evviva Bertolini usou o amarelo na cadeira para trazer destaque à decoração

Cores neutras são vantajosas por equilibrarem a harmonia do ambiente. A marca Evviva Bertolini usou o amarelo na cadeira para trazer destaque à decoração

Foto: Divulgação

Quer trazer personalidade ao quarto? Instale um painel na parede e coloque as fotos do adolescente. O projeto é de Cilene Monteiro Lupi

Quer trazer personalidade ao quarto? Instale um painel na parede e coloque as fotos do adolescente. O projeto é de Cilene Monteiro Lupi

Foto: Divulgação

O quesito praticidade chama atenção no projeto de Lia Carbonari. Repare no uso de nichos, gavetas e prateleiras, além da posição da cama na lateral do quarto

O quesito praticidade chama atenção no projeto de Lia Carbonari. Repare no uso de nichos, gavetas e prateleiras, além da posição da cama na lateral do quarto

Foto: Divulgação

Tudo deve ser fácil de limpar no quarto de um jovem. Invista em móveis de fórmica, tinta lavável nas paredes, capas nos estofados e laminados nos pisos. Projeto da Evviva Bertolini

Tudo deve ser fácil de limpar no quarto de um jovem. Invista em móveis de fórmica, tinta lavável nas paredes, capas nos estofados e laminados nos pisos. Projeto da Evviva Bertolini

Foto: Divulgação

O uso de fotografias deixa o ambiente mais descolado. O escritório Spaço Interior Arquitetura recorreu a pôsteres de filmes clássicos para trazer personalidade

O uso de fotografias deixa o ambiente mais descolado. O escritório Spaço Interior Arquitetura recorreu a pôsteres de filmes clássicos para trazer personalidade

Foto: Divulgação

A tonalidade vibrante do rosa aparece em diversos pontos da decoração, mas existe a base branca de contraponto. O projeto é de Flávia de Brito Lopes e Rebeca Borin

A tonalidade vibrante do rosa aparece em diversos pontos da decoração, mas existe a base branca de contraponto. O projeto é de Flávia de Brito Lopes e Rebeca Borin

Foto: Divulgação

Deixar um cantinho do quarto para os estudos é uma maneira de trazer organização à rotina do adolescente. Projeto de Marcelo Rosset

Deixar um cantinho do quarto para os estudos é uma maneira de trazer organização à rotina do adolescente. Projeto de Marcelo Rosset

Foto: Divulgação

O quadro de recados ao fundo do ambiente traz praticidade e o papel de parede temático reforça o gosto do adolescente

O quadro de recados ao fundo do ambiente traz praticidade e o papel de parede temático reforça o gosto do adolescente

Foto: Divulgação

As gavetas da cama e da mesa de estudos ajudam a tornar o ambiente mais funcional. O que achou da proposta?

As gavetas da cama e da mesa de estudos ajudam a tornar o ambiente mais funcional. O que achou da proposta?

Foto: Divulgação

O gaveteiro usado por Marcelo Rosset na decoração do quarto funciona também como criado-mudo. Invista em móveis multiuso e ganhe espaço

O gaveteiro usado por Marcelo Rosset na decoração do quarto funciona também como criado-mudo. Invista em móveis multiuso e ganhe espaço

Foto: Divulgação

O painel de madeira permite abusar de nichos e prateleiras. Aposte na ideia e deixe o ambiente descolado. Projeto das arquitetas Ana Paula Seabra e Susana Fonseca

O painel de madeira permite abusar de nichos e prateleiras. Aposte na ideia e deixe o ambiente descolado. Projeto das arquitetas Ana Paula Seabra e Susana Fonseca

Foto: Divulgação

Evite o uso de estampas muito grandes ou cores chamativas no quarto. Erica Salgueiro apostou na harmonia do ambiente

Evite o uso de estampas muito grandes ou cores chamativas no quarto. Erica Salgueiro apostou na harmonia do ambiente

Foto: Divulgação

O móvel da Evviva Bertolini é multiuso e se transforma em uma cama quando necessário. Tal recurso é símbolo de praticidade

O móvel da Evviva Bertolini é multiuso e se transforma em uma cama quando necessário. Tal recurso é símbolo de praticidade

Foto: Divulgação

O estilo usado na decoração deve combinar com a personalidade do jovem. Quarto decorado pelas arquitetas Márcia Paixão e Rosangela Pacheco

O estilo usado na decoração deve combinar com a personalidade do jovem. Quarto decorado pelas arquitetas Márcia Paixão e Rosangela Pacheco

Foto: Divulgação

Deixar o quarto mais colorido é algo que traz jovialidade. Invista na ideia usada por Márcia Paixão e Rosangela Pacheco

Deixar o quarto mais colorido é algo que traz jovialidade. Invista na ideia usada por Márcia Paixão e Rosangela Pacheco

Foto: Divulgação

Na decoração da Prodomo Design, almofadões e pufes invadem o quarto. Tais recursos facilitam no momento de receber amigos

Na decoração da Prodomo Design, almofadões e pufes invadem o quarto. Tais recursos facilitam no momento de receber amigos

Foto: Divulgação

O recorte no móvel de marcenaria possibilitou a instalação do televisor na parede. A medida foi prática e economizou espaço

O recorte no móvel de marcenaria possibilitou a instalação do televisor na parede. A medida foi prática e economizou espaço

Foto: Divulgação

O projeto de iluminação deve ser prioridade no quarto. Erica Salgueiro abusou da presença de spots no teto

O projeto de iluminação deve ser prioridade no quarto. Erica Salgueiro abusou da presença de spots no teto

Foto: Divulgação

Aposte ainda em luminárias de mesa para conseguir a quantidade de luz necessária no momento do estudo

Aposte ainda em luminárias de mesa para conseguir a quantidade de luz necessária no momento do estudo

Foto: Divulgação

A cortina blecaute usada pelo escritório Spaço Interior Arquitetura garante a ausência de luz no quarto do adolescente

A cortina blecaute usada pelo escritório Spaço Interior Arquitetura garante a ausência de luz no quarto do adolescente

Foto: Divulgação

Quadros na parede são boas maneiras para conseguir personalidade e aproximação com o estilo do morador. Projeto de Eliana de Sousa

Quadros na parede são boas maneiras para conseguir personalidade e aproximação com o estilo do morador. Projeto de Eliana de Sousa

Foto: Divulgação

A cor forte foi pontuada em alguns elementos da decoração, mas a base neutra se manteve. Projeto de Marcelo Rosset

A cor forte foi pontuada em alguns elementos da decoração, mas a base neutra se manteve. Projeto de Marcelo Rosset

Foto: Divulgação

Tecidos de baixa resistência (a seda e o voil, por exemplo) devem ser evitados na decoração de um quarto de adolescente

Tecidos de baixa resistência (a seda e o voil, por exemplo) devem ser evitados na decoração de um quarto de adolescente

Foto: Divulgação

O gaveteiro ao lado da cama permite que a adolescente guarde mais objetos ou materiais escolares

O gaveteiro ao lado da cama permite que a adolescente guarde mais objetos ou materiais escolares

Foto: Divulgação

Quer usar um pôster no quarto? A melhor alternativa é recorrer a imagens relacionadas ao universo do adolescente, assim como na decoração de Eliana de Sousa

Quer usar um pôster no quarto? A melhor alternativa é recorrer a imagens relacionadas ao universo do adolescente, assim como na decoração de Eliana de Sousa

Foto: Divulgação

Cores quentes e madeira deixam o quarto mais aconchegante. A decoração é de Cilene Monteiro Lupi

Cores quentes e madeira deixam o quarto mais aconchegante. A decoração é de Cilene Monteiro Lupi

Foto: Divulgação

A temática romântica prevaleceu na decoração de Márcia Brunello. A adolescência, no entanto, é um período de transição. Cuidado com a proposta

A temática romântica prevaleceu na decoração de Márcia Brunello. A adolescência, no entanto, é um período de transição. Cuidado com a proposta

Foto: Divulgação

O espelho ao lado da cama deixou o ambiente maior. Projeto de Márcia Brunello

O espelho ao lado da cama deixou o ambiente maior. Projeto de Márcia Brunello

Foto: Divulgação

A iluminação LED atrás do painel garantiu o destaque no quarto decorado por Cilene Monteiro Lupi

A iluminação LED atrás do painel garantiu o destaque no quarto decorado por Cilene Monteiro Lupi

Foto: Divulgação

Outra proposta é inserir peças multiuso no mobiliário. Camas que viram mesas ou bancos com espaço interno são boas alternativas para os jovens guardarem materiais e objetos. Mas lembre-se de valorizar a presença de áreas vazias, pois o excesso de itens decorativos pode comprometer a circulação e diminuir o tamanho do quarto.

Mais: Acerte na escolha das cortinas

A praticidade também beneficiada com o uso de tecidos e revestimentos laváveis e de fácil manutenção – invista em móveis com fórmica, tinta lavável nas paredes, capas nos estofados e laminados ou vinílicos nos pisos. “O foco é a praticidade. Tecidos de baixa resistência (a seda e o voil, por exemplo) devem ser evitados neste tipo de decoração”, diz Luciana Penna, designer de interiores do escritório Messa Penna.

A escolha das cores é mais um aspecto a ser considerado ao decorar o quarto de um adolescente. A estética jovial pode (e deve) estar presente, mas é fundamental garantir tranquilidade no espaço. A saída é apostar em uma base neutra (com tonalidades de cinza, branco e preto) e pontuar o colorido nos objetos decorativos. Itens como mesa lateral, poltrona e criado-mudo também permitem a ousadia de tons mais fortes, já que são trocados com facilidade do que um sofá, por exemplo. E se quiser algo mais alegre, use grafites, adesivos, painéis e quadros em apenas uma parede do ambiente. Mas evite misturar tudo e deixar o visual poluído.

O quarto pode ainda receber fotos em quadros ou grandes painéis. É mais indicado usar imagens conectadas ao mundo do adolescente, sempre com a preocupação de não serem muito chamativas e perturbarem o sono do morador. Outra questão a ser pensada é a iluminação. Aposte no uso de dimmers para regular os pontos de luz e trazer cenários ao ambiente. Invista também em luzes indiretas, luminárias de mesa e spots. “Pense que o quarto ficará fechado a maior parte do tempo e os jovens reunirão amigos no local. Isso exigirá uma boa ventilação e um excelente projeto de iluminação”, diz Ana Rozenblit, arquiteta.

Saiba mais:

Loft com ares de mansão tem ambientes amplos, sauna e banheira na varanda

Móveis de área externa: cinco mandamentos para acertar na compra

Monte uma brinquedoteca em casa


Propostas de combate à epidemia de cesáreas estão paradas na Justiça há 4 anos

BBC

Brasil tem o maior índice de cesáreas do mundo (52%), número chega a 83% nos hospitais particulares; OMS recomenda 15%

Jogo de empurra entre órgãos federais ligados à saúde e entidades privadas, morosidade por parte da Justiça. Esses são alguns dos entraves encontrados nos últimos quatro anos pelo Ministério Público Federal (MPF) na tentativa – por enquanto, em vão – de reduzir os índices epidêmicos de cesarianas feitas na rede privada do país.

O Brasil é o país com maior índice de cesáreas do mundo (52%), e o número ultrapassa os 83% nos hospitais particulares, que atendem majoritariamente pacientes com planos de saúde. Enquanto o índice recomendado pela Organização Mundial da Saúde é de 15%, ele chega a 90% em algumas maternidades renomadas das principais capitais do país.

Leia também: Desvalorização de parto normal torna Brasil líder mundial de cesáreas

Em 2010, o MPF entrou com uma ação civil solicitando que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) cumpra seu papel de regulamentar os planos de saúde e os obrigue a tomar providências para aumentar o número de partos normais e reduzir as cesáreas. O MPF pediu seis medidas que colaborariam para conter a epidemia de cesáreas.

Quatro anos depois de impetrada a ação, a Justiça ainda não se manifestou e não tem prazo para fazê-lo. Em agosto de 2013, após três anos de trâmites legais, a ação finalmente estava pronta para ser julgada, aguardando o veredicto do juiz Victorio Giuzio Neto (titular da 24a Vara Federal, em São Paulo). Mas o juiz está de licença médica até maio e, procurado pela BBC Brasil, preferiu não fazer declarações sobre processo sob o argumento de que o julgamento da ação está pendente.

A BBC Brasil publicou uma série de reportagens mostrando que a desinformação e um sistema perverso de todo o sistema de saúde do país são os principais responsáveis pela liderança no ranking mundial dos partos cirúrgicos. Apesar de muitos dos pontos propostos pelo MP serem elogiados por algumas das entidades ligadas à saúde do país, nenhum deles foi colocado em prática. E os índices seguem crescendo.

Responsabilidade de quem?

Na ação civil, de número 0017488-30.2010.4.03.6100, o Ministério Público cobra da ANS seis medidas que ajudariam na redução do número de cesarianas e promoção do parto humanizado.

Publicação do percentual de cesáreas realizadas por médicos e hospitais conveniados a planos e pagamento de honorários diferenciados a médicos para cesáreas e partos normais estão entre as demandas do MP, que entende que essas medidas são de responsabilidade da agência.

Entenda: Normal ou cesárea? Conheça riscos, mitos e benefícios de cada tipo de parto

No entanto, a ANS afirmou à BBC Brasil que nenhuma das medidas é de competência direta dela, apesar de dizer que concorda com cinco dos seis pontos propostos e até sugerir que sejam adotados pelos planos de saúde.

Associações da classe médica acusam a ANS de não cumprir seu papel de fiscalizar a atuação dos planos. Alegam que médicos fazem as denúncias, mas não têm como obrigar as operadoras de saúde a cumprir medidas que julgam razoáveis.

O jogo de empurra pela responsabilidade sobre a saúde pública brasileira amplia-se ainda mais porque o governo federal diz que a ANS é apenas um órgão vinculado ao Ministério da Saúde, que não teria competência sobre as ações da agência por causa disso.

Parte das medidas sugeridas pelo Ministério Público poderia ser tomada pelos hospitais e, outra parte, pelos próprios médicos. Mas isso não vem ocorrendo por iniciativa própria de médicos e maternidades conveniados a planos de saúde. Por isso, o MP tomou a decisão de acionar a ANS, na tentativa de fazê-la obrigar os planos a exigir tais medidas de seus médicos e hospitais.

A procuradora da República Ana Carolina Previtalli Nascimento, uma das responsáveis pela ação, disse à BBC Brasil que o MPF considera a ANS responsável por fazer com que as seis medidas (saiba mais abaixo) sejam colocadas em prática e, se não for assim, cabe ao governo federal deixar claro que setor precisa assumir a responsabilidade por cada ponto.

“A ANS vem sendo omissa em seu dever de regulamentar essa questão [das crescentes taxas de cesáreas], adotando ações educativas que são importantes, mas que estão longe de provocar mudanças efetivas no comportamento da sociedade”, afirma a procuradora.

“E essa omissão total, que perdura há anos, explica bem a situação que temos hoje. O que a ANS faz (para pressionar os planos de saúde) é muito pouco, prova disso é que as taxas de cesáreas só vêm aumentando na rede privada.”

Karla Coelho, gerente de assistência à saúde da ANS, refuta a acusação. “A agência está longe de ser omissa. Pelo contrário. Há 10 anos trabalhamos para reduzir o número de cesáreas e em medidas para reduzir esse problema”, disse.

“Realizamos diversas audiências com todas as partes envolvidas. Também criamos um comitê para discutir sobre os fatores envolvidos no parto, envolvendo todos os interessados também. É preciso enfrentar o problema em todas as frentes, pensando ações conjuntas com vários setores, como o Ministério da Saúde, a Febrasgo, os planos, as maternidades e, claro, as mulheres.”

Veja quais são os seis pontos da ação do MPF, sem posicionamento da Justiça já há quatro anos:

1. Percentual de cesáreas

Uma das demandas solicita que a ANS obrigue os planos de saúde a publicarem os percentuais de cesáreas e partos normais efetuados por médicos e hospitais conveniados, justificando que o direito à informação adequada é algo previsto em lei. Com essa medida, o MPF acredita que médicos e hospitais se esforçarão pra reduzir as taxas de partos cirúrgicos, já que terão seus procedimentos divulgados.

“A paciente tem o direito de saber se o obstetra escolhido por ela opta em sua prática cotidiana pela realização do parto normal ou cesárea. A prática demonstra que essa não é uma informação discutida entre médico e paciente. Essa demanda quer garantir que o cliente do plano de saúde tenha o direito de obter essa informação simples, numérica e objetiva do próprio plano”, pede a ação do MP.

“Seria muito interessante ter esses dados por hospital, mas isso não é de competência da ANS”, afirmou Coelho, da ANS, à BBC Brasil. “A agência recebe trimestralmente das operadoras de saúde o percentual de cesáreas realizadas, mas sem discriminá-las por médicos ou hospitais.”

Cenário: Defensoria Pública alerta sobre indícios da violência obstétrica

Ela explica que, a partir desses dados, os planos recebem diferentes pontuações: quem faz mais de 90% de cesáreas não recebe pontos; quem faz de 45% a 90% recebe de 0,1 a 1 ponto e as que realizaram 45% ou menos, recebem 1 ponto.

Segundo a agência, seu papel não é expor hospitais ou médicos, mas os planos que realizam muitas cesáreas. Para isso, divulga o IDSS (Índice de Desempenho da Saúde Suplementar), em que faz um ranking dos melhores e piores planos nesse e em outros quesitos (Programa de Qualificação das Operadoras).

Para o MPF, saber o percentual por plano não é suficiente. “Saber o índice de cesáreas do obstetra e do hospital é um direto da mulher, até mesmo como consumidora”, diz Nascimento.

A obstetra Vera Fonseca, do Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro e integrante da comissão de parto normal do Conselho Federal de Medicina (CFM), diz que divulgação do índice por hospital não seria relevante.

“Seria muito difícil comprovar e computar os dados. Além disso, não entendo qual seria o objetivo disso porque, por exemplo, minha taxa de cesárea é alta e um dos motivos é que faltam vagas em maternidades. Não vou passar sufoco com uma grávida em trabalho de parto de madrugada sem ter onde interná-la. Não podemos colocar a culpa toda no médico.”

“O problema é complexo também porque os honorários médicos são injustos e não há certeza de que haverá vaga no hospital para o parto normal. Isso aumenta o número de cesáreas porque é melhor para o médico fazer a cirurgia, que dura menos tempo e paga um valor similar, e para a gestante, porque o leito dela fica garantido”, afirma Fonseca.

2. Formas diferenciadas de remuneração

O MPF também sugere formas diferenciadas de remuneração para parto normal e cesárea e cita a lei que determina que a ANS deve estipular “índices [....] a serem observados pelas operadoras de planos de saúde”. A solicitação é que se siga uma indicação do Conselho Federal de Medicina para se pagar quatro vezes mais pelo parto normal, já que ele pode durar 12 horas ou mais, enquanto uma cesárea pode ser realizada em até 3 horas.

“Isso não vai resolver”, afirma Coelho, da ANS, à BBC Brasil. “O ideal é que se tenha sempre uma equipe completa de plantão 24 horas. É preciso mudar o modelo de parto no Brasil, com um trabalho colaborativo dos profissionais envolvidos.”

Segundo a gerente da agência, a responsável pela determinação dos valores é a AMB (Associação Médica Brasileira), que faz uma tabela chamada Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM).

O diretor de Defesa Profissional da AMB, Emilio Zilli, confirma que a AMB faz a tabela, que hierarquiza 3.800 procedimentos médicos e estabelece um valor mínimo pra cada um.

“Mas muitas vezes isso acaba não adiantando nada, já que a ANS não regula nada e não exige nem que os planos de saúde paguem o valor mínimo que estipulamos. Há locais usando versões da nossa tabela feitas nos anos 90 e a ANS não faz nada a respeito, deixando médicos e pacientes na mão. Vivemos em um embate eterno com a agência. Diante do forte lobby dos planos de saúde, é uma luta quase quixotesca”, afirma Zilli.

O MPF afirma que a agência não pode se esquivar da responsabilidade. “É, sim, papel da ANS determinar quanto as operadoras devem pagar aos médicos por parto normal ou cesárea. O Estado precisa intervir para reduzir o número de cesáreas. E a ANS é o órgão competente pra isso. Não podemos deixar as mulheres no escuro”, diz Nascimento.

“A agência reguladora não precifica os procedimentos e não estabelece preços ou custos de procedimentos e eventos em saúde, porque estas não são suas incumbências. Caso o fizesse, extrapolaria a lei”, argumenta a ANS, em e-mail enviado à BBC Brasil.

3. Partos acompanhados por enfermeiras

Outro ponto solicitado pelo MPF diz respeito a partos acompanhados por enfermeiras. Os promotores afirmam que o atual rol de procedimentos já prevê a cobertura de assistência ao parto por enfermeira obstetra, mas que, para que isso seja efetivado, é preciso que os estabelecimentos de saúde autorizem tal prática ao não exigir a presença de um médico no parto. E a medida, pelo entendimento do MP, deve ser implementada e fiscalizada pela ANS.

“Na maioria dos países europeus, onde a cultura local não enxerga o parto como um evento médico, o pré-natal e parto de baixo risco são realizados por enfermeiras ou parteiras. No Brasil, as maternidades são dominadas pela cultura médica, sendo dirigidas por médicos, grandes opositores dessa divisão de tarefas com os enfermeiros. Cumpre à ANS regulamentar a obrigatoriedade das maternidades privadas e permitir o atendimento do trabalho de parto sem grandes risco exclusivamente por enfermeiros, se essa for a escolha da gestante”, diz o MPF na ação parada há quatro anos na Justiça.

Exemplo: Incentivo britânico a parto normal começa por parteiras

Ainda que a cobertura obrigatória dos planos de saúde já esteja prevista, não é o que acontece na prática nos hospitais particulares.

“Já existe a sugestão de enfermeiras obstetras poderem realizar partos normais de baixo risco, com a presença de um obstetra para dar suporte em caso de complicações, como acontece com as parteiras, na Inglaterra. Mas só alguns planos acataram essa sugestão. A cultura brasileira é muito diferente”, afirma Coelho, da ANS, argumentando que não compete à agência impôr essas medidas a maternidades.

De fato, quem deveria exigir a medida seriam os planos de saúde – por sua vez, regulados pela ANS. Ao contrário do que ocorre na rede privada, em alguns estabelecimentos do SUS, o sistema público de saúde, os partos sem complicações são atendidos por enfermeiros obstetras em casas de parto.

Até o fechamento desta reportagem, a Associação Nacional de Hospitais Privados não tinha nenhum porta-voz disponível para comentar o assunto.

4. Partograma obrigatório

Em outro quesito da ação, o MPF acredita ser imprescindível a adoção de um partograma – um prontuário detalhado de tudo o que ocorreu duranto o parto, com dados sobre a evolução do trabalho de parto. Esse documento possibilitaria uma avaliação posterior sobre a real necessidade de uma cesárea. O MPF cita o Código de Defesa do Consumidor ao afirmar que isso seria, sim, competência da ANS, já que cabe a ela zelar pela qualidade dos serviços prestados.

“O partograma é uma forma transparente e muito útil para a grávida saber o que aconteceu exatamente em seu parto”, afirma Nascimento.

Para o MPF, a ANS deveria obrigar os planos de saúde a exigirem o partograma dos médicos conveniados. Coelho, da ANS, afirma que a proposta de criar esse documento vem da própria agência, em audiência pública em 2010. “Mas a ideia foi barrada pelo Conselho Federal de Medicina”, diz.

Vera Fonseca, do CFM, nega que a proposta do partograma tenha sido barrada pelo órgão. “Defendemos o partograma e tentamos conscientizar os médicos de que preenchê-lo é tão importante quanto preencher o prontuário médico”, diz Fonseca. “Mas o CFM não considerou que isso diminuiria a taxa de cesáreas e que não podia ser obrigatório porque implicaria em penalizar o médico que não o preenchesse. Seria injusto aplicar uma penalidade se tudo correu bem com a mãe e o bebê, já que isso não interfere no atendimento da gestante.”

5. Cartão de gestante

O MPF pede ainda que a ANS exija dos planos a obrigatoriedade de médicos conveniados fazerem um cartão de gestante – já aplicado na saúde pública. A medida possibilita fornecimento de informações adequadas para a mulher e, se houver necessidade, para um outro médico que assuma o caso em emergência – na prática, a falta de todas as informações do pré-Natal induzem médicos a fazerem cesáreas que poderiam ser evitadas.

A ANS voltou a dizer que a iniciativa é louvável, mas que a implementação foge de área de atuação dela. Vera Fonseca, do CFM, diz que a questão foi debatida pelo órgão, mas que não foi à frente porque, segundo a mesma lógica aplicada na avaliação da obrigatoriedade do partograma, não seria adequado penalizar o médico por não fazer o cartão de gestante.

6. Incentivo a práticas humanizadoras

O MPF sugere também que ANS crie indicadores e notas de qualificação específicos para a redução no número de partos cirúrgicos, dizendo que o sistema atual de pontos da agência – a Política de Qualificação em Saúde Suplementar – tem um peso pequeno demais diante da gravidade do problema.

Além do programa citado pelo MPF, a agência lembra que possui diversas outras campanhas e políticas que perseguem esse objetivo. “Estimulamos que as operadoras tomem ações no sentido de criar condições para um parto humanizado, como criar salas de parto, ter uma ambiência adequada, permitir o acompanhamento de familiares durante todo a internação. E também divulgamos experiências de planos de saúde nesse sentido que deram certo, para que outros possam seguir esses exemplos”, afirma Coelho.

6 sinais de que o seu casamento vai durar uma vida

sinais de que o seu casamento vai durar uma vida 6 sinais de que o seu casamento vai durar uma vida

Foto: Thinkstock

Ao final de filmes, desenhos e até novelas, é normal se deparar com a seguinte frase “E viveram felizes para sempre”. Muitas vezes, as palavras não estão ali ou não são exatamente estas, mas a ideia fica implícita: a história terminou bem e os personagens em questão, juntos!

Porém, muito mais bonito do que assistir a lindos romances, com final feliz, na tela do cinema ou da TV, é observar, no dia a dia, histórias de amor verdadeiramente bonitas – não perfeitas, isentas de desentendimentos ou algumas dificuldades, mas, intensas e, sobretudo, reais.

Sabe aquele casal de idosos que você vê, por exemplo, na praça, e tem a “certeza” de que eles viveram e ainda vivem uma linda história de amor?! Ou até mesmo aquele homem e aquela mulher, que se casaram recentemente, mas que você percebe que “foram feitos um para o outro”, pois, simplesmente, demonstram uma vontade incrível de permanecerem juntos e fazerem a relação dar certo?!

Pois, bem, alguns casais realmente dão sinais de que o casamento vai durar uma vida inteira!

E, provavelmente, esse seja o desejo de grande parte das pessoas: ter um relacionamento realmente duradouro. Porém, para isso, não basta apenas amor… Respeito, amizade, companheirismo, paciência, entre outros sentimentos e atitudes, são fatores fundamentais.

Em teoria, é simples. Mas, na prática, nem sempre homens e mulheres – ainda que se gostem – conseguem fazer com que o casamento se mantenha “até que a morte os separe”. E os motivos para isso são inúmeros, além de, é claro, particulares a cada casal.

Mas algumas dicas podem ajudar! Por isso, se você está na dúvida se o seu casamento, de fato, pode durar anos e anos, até o final de suas vidas, tente se atentar a alguns detalhes do relacionamento…

Abaixo você confere uma lista com alguns dos possíveis sinais de que o seu casamento vai “durar uma vida”!

1. Vocês são amigos, mas um respeita a individualidade do outro

sinais de que o seu casamento vai durar uma vida 1 6 sinais de que o seu casamento vai durar uma vida

Foto: Thinkstock

Você se dá muito bem com o seu marido e, diariamente, vocês conversam sobre os mais variados assuntos (desde os mais banais, descontraídos, até temas mais sérios e polêmicos)?! Ótimo, isso mostra que vocês são bons amigos e têm intimidade – pontos fundamentais para que um relacionamento dê certo.

Celia Lima, psicoterapeuta holística e especialista do Personare, explica que, quando duas pessoas se unem, o ideal é que a convivência promova justamente isso: estreitamento da intimidade e da amizade. “Os assuntos que impactam diretamente na boa convivência entre o casal devem ser naturalmente compartilhados, mas é ilusão imaginar que absolutamente tudo seja compartilhado, pois é saudável também que a individualidade seja preservada”, destaca.

De acordo com a profissional, engana-se quem pensa que o companheiro reúne todas as qualidades desejáveis. É preciso entender e aceitar que existem assuntos que podem ser melhor divididos e compreendidos entre amigos do que entre o próprio casal. “Compartilhar tudo não é condição para a durabilidade do relacionamento e uniões com base nessa premissa tendem a ser relações controladoras, já que por trás do ‘tudo’ pode se esconder alguma insegurança ou o desejo de possuir até mesmo os pensamentos do outro”, explica Celia.

Portanto, a amizade e a intimidade entre o casal são, sem dúvida, importantes, mas isso não deve servir de justificativa para que um queira invadir a privacidade do outro.

Se você entende e aceita que o homem com quem se casou é uma pessoa que tem seus próprios sentimentos, desejos e necessidades – o que deve ser respeitado –, e ele, paralelamente, tem o mesmo entendimento a respeito de você, tudo indica que o relacionamento está “no caminho certo”!

2. Vocês dividem as tarefas do dia a dia ou as realizam juntos

sinais de que o seu casamento vai durar uma vida 2 6 sinais de que o seu casamento vai durar uma vida

Foto: Thinkstock

A evolução das relações sociais não permite mais que, hoje, as tarefas sejam entendidas como tarefas femininas ou tarefas masculinas dentro da família. “O que antes era entendido como papel do homem – prover financeiramente a família –, não pode mais ser usado como desculpa para sobrecarregar a mulher com os afazeres domésticos e responsabilidades com os filhos. Até porque a mulher está inserida no mercado de trabalho e também quer cuidar de sua carreira”, explica Celia Lima.

De acordo com a psicoterapeuta, os casais modernos fazem acordos o tempo todo e dividem todas as tarefas ou as realizam juntos. “Isso é importante inclusive na orientação dos filhos que vão aprender com os pais a respeito de solidariedade e companheirismo”, diz.

Mesmo os casais que optam por um deles não trabalhar, acrescenta Celia Lima, devem ficar atentos no que diz respeito aos compromissos com os filhos. “É importante para o bom desenvolvimento afetivo dos pequenos que ambos os pais também estejam presentes nas reuniões, festas da escola e em outros compromissos sociais”, explica.

Assim, é importante parar e observar se você e seu marido estão realmente sendo companheiros. E se a resposta for positiva, ótimo, este é mais um sinal de que o seu relacionamento “caminha bem”!

3. Vocês estão atentos aos seus próprios sentimentos e aos sentimentos do outro

sinais de que o seu casamento vai durar uma vida 3 6 sinais de que o seu casamento vai durar uma vida

Foto: Thinkstock

Muitas pessoas têm medo de que “o casamento caia na rotina” e, com isso, o desejo de ficar junto com o outro acabe. Porém, mulher e homem devem saber que podem fazer “cada um a sua parte” para que isso não ocorra.

Celia Lima destaca que não é muito difícil perceber que um relacionamento está caindo na rotina. “Basta ficar atento a si mesmo, a sentimentos de insatisfação, de enfado e perceber quando secretamente você reclama: ‘de novo?’”, diz.

Mas, explica a psicoterapeuta, uma pitada de criatividade e muito diálogo podem evitar o desgaste que a rotina promove nas relações. “As pessoas, sem perceber, acham que porque estão casadas, estão ‘garantidas’. Pois eu digo que é, a partir do casamento, que se iniciam os desafios, e não devemos entender por desafio algo difícil. Ao contrário, são os desafios que ajudam os casais a amadurecer e a fortalecer as relações. Mas como eu disse, é preciso prestar atenção aos próprios sentimentos e também às reações do companheiro, já que o que está bom para um, não necessariamente está bom para ambos”, destaca.

Dessa forma, se algo no relacionamento não está legal para você, tome a iniciativa de conversar com o seu marido. Esteja também sempre aberta a ouvi-lo. Se considerar que, por um motivo ou outro, o casamento está “caindo na rotina”, faça sugestões que possam mudar este quadro: proponha uma viagem ou um simples passeio; façam algo que vocês nunca fizeram juntos; surpreenda seu parceiro de alguma forma e tenha a liberdade de pedir que ele também faça o mesmo.

Mas, se o diálogo é comum entre vocês e ambos se esforçam para que o relacionamento “nunca deixe de ser interessante” e para que as duas partes estejam satisfeitas, ponto positivo para o seu casamento!

4. Vocês se utilizam dos desentendimentos para melhorar a relação

sinais de que o seu casamento vai durar uma vida 4 6 sinais de que o seu casamento vai durar uma vida

Foto: Thinkstock

Um casamento duradouro não é sinônimo de um relacionamento perfeito, sem brigas e divergências. Sem dúvidas, desentendimentos acabam ocorrendo entre pessoas que vivem juntas, é praticamente inevitável.

“E isso é saudável na medida em que o casal usa esses desentendimentos para deixar a relação mais ‘redonda’, para que os acordos se renovem e para que um passe a conhecer melhor o outro”, destaca Celia Lima.

Mas, quando o desentendimento se transforma em briga e, se isso fica recorrente, já não se pode dizer que exista saúde na relação. “Muitas pessoas provocam deliberadamente pontos de tensão; outras se sentem num ringue em que alguém sempre tem que ganhar a discussão e, quando alguém tem que ganhar, ambos perdem. Quem quer sempre ter razão não está pensando no casal, mas tão somente em ter razão. Será que isso é saudável?”, diz a psicoterapeuta.

Portanto, o segredo está em visualizar, nos possíveis desentendimentos que ocorrem entre marido e mulher, “caminhos alternativos” que possam fortalecer a relação. Casais que se propõem a isso terão, provavelmente, um longa estrada – para seguirem juntos – pela frente!

5. Vocês reconhecem quando precisam “discutir a relação”

sinais de que o seu casamento vai durar uma vida 5 6 sinais de que o seu casamento vai durar uma vida

Foto: Thinkstock

Levando em conta que ninguém é perfeito, nem sempre a mulher conseguirá agradar o marido; bem como ele não fará tudo exatamente como ela espera. Como já citado acima, desentendimentos, inevitavelmente, ocorrerão. Porém, um casal deve lembrar que o diálogo é fundamental em todos os relacionamentos.

“Trocar ideias, aparar as arestas e fazer acordos sempre que necessário, ajuda o casal a amadurecer e a ficar mais próximo. Isso não quer dizer que a cada evento seja necessário parar tudo para conversar, mas casais que não deixam para depois as pequenas coisas que incomodam podem evitar as intermináveis ‘DR’. ‘Discutir a Relação’ é desejável quando uma ou ambas as partes sentem que algo não vai bem na essência do relacionamento”, explica Celia Lima. “O importante aqui é evitar acusações e sempre refletir sobre o quanto cada um pode se responsabilizar pela parte que lhe cabe na retomada da harmonia da relação”, acrescenta a psicoterapeuta.

Dessa forma, não se assuste se você e seu marido, eventualmente, precisarem “discutir a relação”. Este não é o problema e, sim, um sinal de vocês se gostam e se preocupam com o casamento.

6. Vocês estão dispostos a aprender um com o outro

sinais de que o seu casamento vai durar uma vida 6 6 sinais de que o seu casamento vai durar uma vida

Foto: Thinkstock

Engana-se quem pensa que aquele casal que esbanja felicidade ou que está sempre dando demonstrações de afeto seja candidato a um relacionamento duradouro. “Ninguém sabe o que se passa entre quatro paredes, nem no íntimo de cada um. Quem se une sempre deseja que a relação seja duradoura, mas nem sempre sabe como fazer para que isso aconteça”, observa Celia Lima.

A psicoterapeuta explica que cada pessoa leva com ela o modelo de relacionamento que vivenciou em casa e, normalmente, tende a reproduzir o que conhece. “Se a pessoa tem uma referência positiva em sua família de origem, será mais fácil conduzir seu próprio relacionamento por caminhos mais suaves. Se, todavia, a referência familiar for de relacionamentos conflituosos, cheio de brigas, ciúmes, provocações ou agressões, é importante ficar atento para não reproduzir o que certamente causou sofrimento”, destaca.

Celia ressalta que um relacionamento é feito de duas pessoas, cada uma carregando valores e referências próprias. “A beleza das relações é justamente o quanto um pode aprender com o outro e a respeito de si mesmo. Quem compreende que o amor é apenas uma parcela para o sucesso de uma união, compreendeu também que é preciso construir e conservar a relação em suas inúmeras facetas. Quanto mais consciente disso o casal estiver, maior a probabilidade de uma união duradoura”, finaliza a psicoterapeuta.

Portanto, se você e seu parceiro já sabem olhar para dentro de si mesmos, reconhecendo seus próprios erros; prezam pelo diálogo e tentam sempre aprender com as próprias falhas e, também, com as falhas do outro, vocês, de fato, estão amadurecendo juntos e dando valor ao casamento. E, claro, contribuindo para que o relacionamento seja duradouro.

O post 6 sinais de que o seu casamento vai durar uma vida apareceu primeiro em Dicas de Mulher.

Quando vejo um amigo indo embora da night com uma fêmea

ayfZ31S

vai lá, cara…me dê orgulho.

Venezuelanas arriscam saúde com injeções de silicone nas nádegas

BBC

Mesmo proibido, estimativa é de que 30% das mulheres entre 18 e 50 anos optam por procedimento para ficarem ‘mais belas’

A moda de nádegas grandes na Venezuela está levando algumas mulheres a extremos como o uso de injeções de silicone na região do corpo, uma prática proibida no país e que coloca a saúde em risco.

Denny, uma advogada de 35 anos que prefere não dar o sobrenome, é uma destas mulheres. Ela contou à BBC que acordou um dia com um inchaço do tamanho de uma bola de futebol na região lombar. Ela não conseguia andar ou se inclinar, a dor era muito intensa.

Antes mesmo de consultar um médico, a venezuelana sabia que o inchaço deveria ser um efeito colateral do silicone líquido injetado em suas nádegas. O líquido se moveu para as costas e estava pressionando sua coluna. “Foi um choque terrível. Eu não conseguia andar. Foi assim que minha agonia começou”, disse.

Injeções nas nádegas são um dos muitos procedimentos cosméticos aos quais as venezuelanas se submetem para corresponder aos modelos de beleza vigentes no país. Mas estas injeções foram proibidas pelo governo em 2012, seis anos depois de Denny ter passado pelo procedimento.

Apesar da proibição, as injeções continuam. Até 30% das mulheres entre 18 e 50 anos escolhem este procedimento, segundo a Associação de Cirurgiões Plásticos Venezuelanos. Homens também costumam injetar este tipo de silicone nos músculos peitorais, mas os números são bem menores.

Sem barreiras

As injeções são feitas com silicone de biopolímero. A aplicação direta na massa muscular torna este silicone líquido muito mais perigoso do que os implantes comuns, nos quais o silicone está contido em uma espécie de bolsa.

Leia também: Médicos alertam sobre perigo do uso de silicone para aumentar pênis

A atração deste tipo de implante é o fato de ele ser mais barato do que as cirurgias convencionais. Uma injeção pode custar cerca de 2 mil bolívares (pouco mais de R$ 700) e o procedimento todo não leva mais do que 20 minutos. Mas, os riscos são muito altos.

“O silicone pode migrar para outras áreas do corpo, pois não tem nenhuma barreira. O corpo também pode dar uma resposta imunológica ao material estranho, criando muitos problemas”, disse Daniel Slobodianick, cirurgião plástico venezuelano.

Os pacientes podem sofrer reações alérgicas e fadiga crônica. Se o líquido migrar para outras áreas do corpo também poderá causar dores intensas nas juntas. O médico acrescenta que os sintomas poderão aparecer apenas anos depois das injeções.

No caso de Denny, o silicone se moveu para cima, para as costas, o que resultou em uma pressão dolorosa na coluna e dificultou movimento como, por exemplo, caminhar. Mas, de certa forma, ela teve sorte.

Os números não são precisos, mas a Associação de Cirurgiões Plásticos da Venezuela estima que pelo menos uma dúzia de mulheres morrem a cada ano devido a estas injeções. 

Daniel Slobodianick é um dos apenas dois cirurgiões do país especializados na remoção do tecido afetado pelas injeções. O médico afirma que tem uma longa fila de espera e Denny, por exemplo, teve que esperar por um ano até conseguir uma vaga.

No entanto, muitas não conseguem pagar pela cirurgia, que custa 60 mil bolívares (mais de R$ 21 mil).

Problema nas costas

Horas antes da cirurgia, Denny explica à BBC que não quer divulgar o sobrenome pois alguns familiares não sabem a razão de ela ter ficado doente. Eles acreditam que a advogada tem algum problema nas costas, algo que ela também acreditou durante anos, antes do aparecimento do caroço.

Perigo: O que pode dar de errado na cirurgia plástica

Denny afirma que não teria tomado a injeção se soubesse dos riscos e descreveu a pressão que a levou a fazer o procedimento. “Houve um boom. No escritório todas as mulheres tinham nádegas lindas. A gota d’água foi quando uma colega com quem trabalhava chegou com nádegas lindas, pareciam dois balões, tão bonitas. Foi ela quem me incentivou”, disse.

“Nunca fui obcecada com medidas perfeitas, mas me deixei levar pela ideia de que mulheres venezuelanas deveriam parecer bonecas Barbie”, acrescentou.

Concurso de Miss

A Venezuela já venceu sete vezes o concurso de Miss Universo, dando ao país a reputação de fábrica de rainhas da beleza. Carolina Vazquez Hernandez, consultora especialista em questões femininas, diz que a pressão da sociedade é muito intensa no país, maior do que em outros países.

“Nós, mulheres venezuelanas, não temos uma identidade clara de nossas raízes. Por causa desta nossa falta de identidade, nossa autoestima é muito fraca e somos capazes de nos submeter a qualquer coisa que desenvolva nossa autoestima”, disse.

Astrid de la Rosa concorda. Ela é uma das ativistas líderes da associação Não ao Biopolímero (organização sem fins lucrativos que dá apoio a vítimas destas injeções). Ela mesma passou pelo procedimento quando seu parceiro estava para deixá-la.

“Pensei que uma pessoa iria amar outra por causa da aparência”, disse.

Logo depois ela começou a se sentir mal. Médicos disseram que o sistema imunológico de Astrid tinha sido afetado e ela foi diagnosticada com leucemia. A proibição do uso destas injeções no país ocorreu em parte graças às ações da associação. Mas para Astrid de la Rosa ainda não é o bastante.

Ajuda

Astrid afirma que ainda recebe telefonemas semanais de mulheres que receberam as injeções, mesmo depois da proibição. “Não é uma questão de gênero ou classe social. Mulheres e homens fazem isto, há políticos, atores, que já fizeram. Onde esta a ajuda para nós?”, disse.

O governo proibiu as injeções por causa dos riscos à saúde. E as companhias de seguro não cobrem os cursos de tratamento para cuidar dos danos causados pelas injeções, pois estas companhias não reconhecem os efeitos colaterais das injeções como uma doença.

Para tentar enfrentar este problema, Astrid afirma que a organização coleta dinheiro para ajudar a pagar pelas cirurgias reparadoras. Denny, por sua vez, conseguiu pagar pela cirurgia com as economias que tinha, mas no momento ela não pensa no dinheiro.

Deitada de bruços depois da cirurgia, ela sabe que serão necessárias três semanas até que ela se recupere totalmente. E a cicatriz vai ficar para sempre. Denny também sabe que o silicone ainda pode afetar sua saúde no futuro. No entanto, a advogada espera que sua experiência sirva como um alerta para outras venezuelanas.

Venezuelanas arriscam saúde com injeções de silicone nas nádegas

BBC

Mesmo proibido, estimativa é de que 30% das mulheres entre 18 e 50 anos optam por procedimento para ficarem ‘mais belas’

A moda de nádegas grandes na Venezuela está levando algumas mulheres a extremos como o uso de injeções de silicone na região do corpo, uma prática proibida no país e que coloca a saúde em risco.

Denny, uma advogada de 35 anos que prefere não dar o sobrenome, é uma destas mulheres. Ela contou à BBC que acordou um dia com um inchaço do tamanho de uma bola de futebol na região lombar. Ela não conseguia andar ou se inclinar, a dor era muito intensa.

Antes mesmo de consultar um médico, a venezuelana sabia que o inchaço deveria ser um efeito colateral do silicone líquido injetado em suas nádegas. O líquido se moveu para as costas e estava pressionando sua coluna. “Foi um choque terrível. Eu não conseguia andar. Foi assim que minha agonia começou”, disse.

Injeções nas nádegas são um dos muitos procedimentos cosméticos aos quais as venezuelanas se submetem para corresponder aos modelos de beleza vigentes no país. Mas estas injeções foram proibidas pelo governo em 2012, seis anos depois de Denny ter passado pelo procedimento.

Apesar da proibição, as injeções continuam. Até 30% das mulheres entre 18 e 50 anos escolhem este procedimento, segundo a Associação de Cirurgiões Plásticos Venezuelanos. Homens também costumam injetar este tipo de silicone nos músculos peitorais, mas os números são bem menores.

Sem barreiras

As injeções são feitas com silicone de biopolímero. A aplicação direta na massa muscular torna este silicone líquido muito mais perigoso do que os implantes comuns, nos quais o silicone está contido em uma espécie de bolsa.

Leia também: Médicos alertam sobre perigo do uso de silicone para aumentar pênis

A atração deste tipo de implante é o fato de ele ser mais barato do que as cirurgias convencionais. Uma injeção pode custar cerca de 2 mil bolívares (pouco mais de R$ 700) e o procedimento todo não leva mais do que 20 minutos. Mas, os riscos são muito altos.

“O silicone pode migrar para outras áreas do corpo, pois não tem nenhuma barreira. O corpo também pode dar uma resposta imunológica ao material estranho, criando muitos problemas”, disse Daniel Slobodianick, cirurgião plástico venezuelano.

Os pacientes podem sofrer reações alérgicas e fadiga crônica. Se o líquido migrar para outras áreas do corpo também poderá causar dores intensas nas juntas. O médico acrescenta que os sintomas poderão aparecer apenas anos depois das injeções.

No caso de Denny, o silicone se moveu para cima, para as costas, o que resultou em uma pressão dolorosa na coluna e dificultou movimento como, por exemplo, caminhar. Mas, de certa forma, ela teve sorte.

Os números não são precisos, mas a Associação de Cirurgiões Plásticos da Venezuela estima que pelo menos uma dúzia de mulheres morrem a cada ano devido a estas injeções. 

Daniel Slobodianick é um dos apenas dois cirurgiões do país especializados na remoção do tecido afetado pelas injeções. O médico afirma que tem uma longa fila de espera e Denny, por exemplo, teve que esperar por um ano até conseguir uma vaga.

No entanto, muitas não conseguem pagar pela cirurgia, que custa 60 mil bolívares (mais de R$ 21 mil).

Problema nas costas

Horas antes da cirurgia, Denny explica à BBC que não quer divulgar o sobrenome pois alguns familiares não sabem a razão de ela ter ficado doente. Eles acreditam que a advogada tem algum problema nas costas, algo que ela também acreditou durante anos, antes do aparecimento do caroço.

Perigo: O que pode dar de errado na cirurgia plástica

Denny afirma que não teria tomado a injeção se soubesse dos riscos e descreveu a pressão que a levou a fazer o procedimento. “Houve um boom. No escritório todas as mulheres tinham nádegas lindas. A gota d’água foi quando uma colega com quem trabalhava chegou com nádegas lindas, pareciam dois balões, tão bonitas. Foi ela quem me incentivou”, disse.

“Nunca fui obcecada com medidas perfeitas, mas me deixei levar pela ideia de que mulheres venezuelanas deveriam parecer bonecas Barbie”, acrescentou.

Concurso de Miss

A Venezuela já venceu sete vezes o concurso de Miss Universo, dando ao país a reputação de fábrica de rainhas da beleza. Carolina Vazquez Hernandez, consultora especialista em questões femininas, diz que a pressão da sociedade é muito intensa no país, maior do que em outros países.

“Nós, mulheres venezuelanas, não temos uma identidade clara de nossas raízes. Por causa desta nossa falta de identidade, nossa autoestima é muito fraca e somos capazes de nos submeter a qualquer coisa que desenvolva nossa autoestima”, disse.

Astrid de la Rosa concorda. Ela é uma das ativistas líderes da associação Não ao Biopolímero (organização sem fins lucrativos que dá apoio a vítimas destas injeções). Ela mesma passou pelo procedimento quando seu parceiro estava para deixá-la.

“Pensei que uma pessoa iria amar outra por causa da aparência”, disse.

Logo depois ela começou a se sentir mal. Médicos disseram que o sistema imunológico de Astrid tinha sido afetado e ela foi diagnosticada com leucemia. A proibição do uso destas injeções no país ocorreu em parte graças às ações da associação. Mas para Astrid de la Rosa ainda não é o bastante.

Ajuda

Astrid afirma que ainda recebe telefonemas semanais de mulheres que receberam as injeções, mesmo depois da proibição. “Não é uma questão de gênero ou classe social. Mulheres e homens fazem isto, há políticos, atores, que já fizeram. Onde esta a ajuda para nós?”, disse.

O governo proibiu as injeções por causa dos riscos à saúde. E as companhias de seguro não cobrem os cursos de tratamento para cuidar dos danos causados pelas injeções, pois estas companhias não reconhecem os efeitos colaterais das injeções como uma doença.

Para tentar enfrentar este problema, Astrid afirma que a organização coleta dinheiro para ajudar a pagar pelas cirurgias reparadoras. Denny, por sua vez, conseguiu pagar pela cirurgia com as economias que tinha, mas no momento ela não pensa no dinheiro.

Deitada de bruços depois da cirurgia, ela sabe que serão necessárias três semanas até que ela se recupere totalmente. E a cicatriz vai ficar para sempre. Denny também sabe que o silicone ainda pode afetar sua saúde no futuro. No entanto, a advogada espera que sua experiência sirva como um alerta para outras venezuelanas.

Vacinação contra gripe começa nesta terça e inclui maior número de crianças

Agência Brasil

Com nova regra, crianças entre 6 meses e 5 anos incompletos poderão ser imunizadas; campanha vai até 9 de maio

Agência Brasil

Começa nesta segunda (22) a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. Este ano, a imunização deve atingir mais crianças do que em anos anteriores, já que a faixa etária definida pelo Ministério da Saúde foi ampliada. Com a nova regra, crianças de 6 meses a menos de 5 anos poderão ser vacinadas. No ano passado, apenas crianças com até 2 anos podiam receber a vacina.

Representantes do governo acreditam que a ampliação dessa faixa etária vai beneficiar tanto as crianças quanto outros grupos vulneráveis, como menores de 6 meses de idade que ainda são amamentados, idosos e pessoas com doenças crônicas.

A campanha continua até 9 de maio e a meta do governo é vacinar pelo menos 80% do público, que representa 49,6 milhões de crianças. A vacina também será disponibilizada para grupos considerados mais vulneráveis à gripe, como as pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores da saúde, povos indígenas, gestantes, mães até 45 dias após o parto, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.

O Ministério da Saúde ainda incluiu pessoas que têm doenças crônicas não transmissíveis ou que estão em condições clínicas especiais, mas não definiu uma meta a ser atingida nesses casos. Essas pessoas terão que apresentar prescrição médica no ato da vacinação

A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), e o governo brasileiro se baseia em estudos que apontam que a vacinação pode reduzir entre 32% e 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza.

De acordo com o ministério, serão distribuídos 53,5 milhões de doses da vacina, capazes de proteger pessoa de três subtipos do vírus da gripe (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B). O material será distribuído para 65 mil postos de vacinação e 240 mil pessoas estarão envolvidas na imunização.

Para os locais de mais difícil acesso, o governo anunciou que vai disponibilizar 27 mil veículos terrestres, marítimos e fluviais.

Quatro capitais serão palco da segunda edição do Festival O Boticário na Dança

Publieditorial

Em dez dias de evento, o público brasileiro poderá apreciar espetáculos de companhias aclamadas no mundo inteiro

Promover e valorizar a arte da dança no Brasil, mostrando ao público a busca da perfeição em cada movimento é o objetivo do Festival O Boticário na Dança. Em sua segunda edição, haverá a participação de oito companhias, quatro internacionais (Akram Khan Company, Batsheva Ensemble, Louise Lecavalier e TAO Dance Theater) e quatro nacionais (Balé Teatro Guaíra, Cisne Negro Cia de Dança, Focus Cia de Dança e Primeiro Ato).

A Akram Khan Company, fundada em 2000 pelo coreógrafo inglês de origem bangladeshiana Akram Khan e pelo produtor paquistanês Farooq Chaudhry, ficou famosa pela mistura de dança contemporânea e kathak, uma das oito formas de dança clássica indiana. Com o objetivo de contar histórias e transmitir ideias, o grupo apresenta o espetáculo iTMOi (in The Mind Of igor), em que os bailarinos exploram a influência do compositor Igor Stravinsky, em homenagem aos 100 anos de “A Sagração da Primavera”, sua obra mais conhecida.


A Batsheva Dance Company, junto com a Batsheva Ensemble, fundada em 1964, é uma das mais importantes do mundo. A companhia é formada por bailarinos do mundo todo e sediada atualmente em Tel Aviv, Israel. O coreógrafo israelense Ohad Naharin foi responsável por desenvolver “Decadance”,que alterna movimentos extravagantes e momentos mais íntimos, e será encenado no Festival deste ano.

A bailarina canadense Louise Lecavalier é a maior representante da dança de seu país. Com formação em balé clássico e dança moderna, foi a primeira canadense a ganhar o prestigioso prêmio Bessie, em Nova York. Ao lado de seu parceiro, Frédéric Tavernini, ela traz o espetáculo “So Blue”, em que seu corpo se transforma em uma arte viva, apresentando sequências ágeis, contrastando com momentos mais lentos, ao som da música do compositor turco Mercan Dede.

A última companhia internacional a se apresentar é a TAO Dance Theater, um dos principais grupos chineses atualmente. Serão dois espetáculos: em “4″, quatro bailarinos se puxam, se embalam e se unem ao som da música do compositor chinês Xiao He; em “5″, cinco bailarinos não se separam, movendo-se como uma massa humana, explorando todo o potencial do corpo.

Companhias brasileiras e homenagens
Entre as participações brasileiras, destaque para “A Sagração da Primavera”, do Balé Teatro Guaíra. Com mais de 130 espetáculos no repertório, eles também fazem uma homenagem ao compositor Igor Stravinsky. A Cisne Negro Companhia de Dança apresenta “Sra. Margareth”, um trabalho de dança-teatro baseada em obras de Bruno Schulz e Jean Genet.

Artistas populares brasileiros também serão lembrados no Festival. Em “As Canções que Você Dançou Para Mim”, da Focus Cia de Dança, casais dançam ao som de Roberto Carlos. Já a “Primeiro Ato” exalta os mineiros João Guimarães Rosa e Milton Nascimento com o espetáculo “Pó de Nuvens”.

Além das apresentações, o evento oferece workshops gratuitos, ministrados por diretores e bailarinos de companhias convidadas.

O Festival começa no dia 29 de abril e vai até o dia 8 de maio. Entre os dias 29 de abril e 4 de maio, os espetáculos acontecem em São Paulo. No Rio de Janeiro, as apresentações começam no dia 30 de abril e vão até 4 de maio. Curitiba recebe as companhias de dança entre 5 a 7 de maio, e Recife terá espetáculos nos dias 7 e 8 de maio. O valor dos ingressos vai de R$ 10 a R$ 60.

Farelo de trigo: conheça seus benefícios e inclua-o no cardápio

farelo de trigo Farelo de trigo: conheça seus benefícios e inclua o no cardápio

Foto: Thinkstock

Promete reduzir o colesterol, ajudar no emagrecimento, favorece o intestino e aumenta o período de saciedade. O farelo de trigo, embora seja um alimento dispensável por muitas mulheres, pode trazer inúmeros benefícios à sua saúde, desde que consumido com orientações especializadas.

“Trata-se de uma película externa do grão de trigo (casquinha do grão) e é constituído por fibras insolúveis que exercem funções muito importantes no nosso organismo. É um alimento que contém pouca caloria, auxiliando também no emagrecimento”, explica Gustavo Vilela, médico hematologista.

[dicas_ads]

Benefícios do farelo de trigo

Intestino saudável: Para quem sofre com o problema de intestino preso, consumir o farelo pode auxiliar no desconforto abdominal e na limpeza intestinal. “Ele auxilia na limpeza do intestino, eliminando toxinas fecais de modo mais eficaz”, indica Vilela.

Ele ainda pode prevenir doenças. “Além disso, seu consumo evita o surgimento de inflamações gastrointestinais”, acrescenta Maria Fernanda Pio, nutricionista esportiva à frente da equipe MPIO.

Emagrece: Quando ingeridas, as fibras presentes no farelo ‘incham’ em contato com a água, aumentando o período de saciedade. “Conseqüentemente, podem colaborar para controlar o apetite e o emagrecimento em um programa apropriado de reeducação alimentar e atividade física”, diz Vilela.

Saúde em dia: O farelo também pode ser uma arma interessante para reduzir o colesterol, pois é responsável também pela diminuição da absorção de gorduras no intestino. “Ele reduz os níveis de açúcar e colesterol no sangue e pode prevenir o surgimento de doenças crônicas”, avalia Maria.

Como incluir o farelo de trigo nas receitas

farelo de trigo 3 Farelo de trigo: conheça seus benefícios e inclua o no cardápio

Foto: Thinkstock

Por não ter um sabor característico, o ideal é usá-lo como auxiliar na preparação de pratos. “Você pode adicionar nas receitas de biscoitos, pães, sopas, bolos, tortas, sucos, vitaminas e feijão, por exemplo, sem alterar o gosto das preparações”, comenta Vilela.

Porém, a ingestão diária consumida deve ser de até 3 colheres de sopa, já que a quantidade de fibras recomendada por uma pessoa adulta é de aproximadamente 30g. “Quem consome farelo precisa se lembrar de beber bastante água, já que a quantidade de fibras pode causar o ressecamento do bolo fecal”, alerta o médico.

Cuidado: há contraindicação

Assim como certos alimentos, o farelo de trigo deve ser evitado por pessoas celíacas, já que contém glúten em sua composição. “Pessoas com obstrução do trânsito intestinal, ou com dificuldade de absorção intestinal, quadros inflamatórios intestinais ou abdominais agudos, por exemplo: apendicite, e indivíduos desidratados, com dificuldade para engolir ou produzir saliva devem evitar o consumo”, recomenda Vilela.

4 receitas com farelo de trigo

farelo de trigo 2 Farelo de trigo: conheça seus benefícios e inclua o no cardápio

Foto: Thinkstock

Você pode encontrar o farelo de trigo tanto em supermercados quanto em casas de produtos naturais ou sites especializados. Confira dicas de receitas sugeridas pelos especialistas e prepare já para sua família!

1. Bolo de cenoura integral

Ingredientes

  • 1 cenoura grande
  • 2 ovos caipiras/orgânicos
  • 1 xícara de biomassa de banana verde fresca
  • 1 xícara (chá) de açúcar de coco
  • 2 xícaras (chá) de farinha de arroz
  • 3/4 de xícara (chá) de farelo de trigo
  • 1 colher (sopa) de fermento em pó

Obs: não leva óleo.

Modo de Preparo

No liquidificador, bata a cenoura, os ovos, o açúcar e a biomassa. Coloque numa tigela e misture a farinha, a fibra e o fermento, batendo bem. Despeje a massa em uma forma untada e enfarinhada com a farinha de arroz. Leve para assar em forno médio (180º) por +/- 40 minutos ou até que esteja firme.

2. Pão integral

Ingredientes

  • 230g de farinha de centeio integral
  • 330g de farinha de trigo integral
  • 2 colheres de sobremesa de linhaça
  • 2 colheres de sobremesa de sementes de girassol
  • 1 colher de sopa de farelo de trigo
  • 1 colher de sopa de azeite
  • 1 pitada de sal
  • 25g de fermento de fresco
  • 400 ml de água
  • Leite
  • Sementes de gergelim para decorar

Modo de Preparo

Dissolver o fermento na água morna, adicionar o azeite e voltar a mexer. Numa tigela grande, colocar as farinhas, o sal e as sementes. Adicione a água com o fermento dissolvido. Depois, misture tudo com a ajuda de um garfo, e deite a massa na bancada, que deve estar enfarinhada, e amasse até esta se descolar das mãos. Faça uma bola com a massa e depois, um corte em cruz. Coloque num tabuleiro, tape com um pano úmido e deixe descansar até dobrar de volume. Pincele com o leite e decore com as sementes. Leve ao forno pré-aquecido a 200ºC durante 35 minutos.

3. Bolo de Fibras

Ingredientes

  • 6 colheres de sopa de farelo de trigo
  • 12 colheres de sopa de aveia
  • 6 ovos
  • 6 potes pequenos de iogurte desnatado
  • Essência de baunilha
  • Adoçante para forno e fogão (opcional)
  • Uma pitada de sal
  • 1 colher de sobremesa de fermento biológico em pó

Modo de Preparo

Misture o farelo de trigo, a aveia, as gemas, os iogurtes, a essência de baunilha e o adoçante (opcional). Bata as claras em neve, com uma pitada de sal. Junte todos os ingredientes e coloque em uma forma, levando ao forno pré-aquecido a 190 graus durante aproximadamente 30 minutos, até dourar.

4. Pão de farelo de trigo

Ingredientes

  • 2 ovos
  • 1 iogurte natural desnatado
  • 10 colheres de sopa de leite em pó desnatado
  • 10 colheres de sopa de farelo de trigo + gérmen de trigo
  • 1 pitada de sal
  • 1 colher de sopa de fermento biológico em pó
  • 1 colher de chá de orégano (opcional)

Modo de Preparo

Pré-aqueça o forno a 180 graus. Em seguida, misture todos os ingredientes, com exceção do fermento, em uma vasilha. Após mexer bem, acrescente o fermento. Despeje a massa em uma forma retangular untada com óleo (tirar o excesso com papel toalha), ou em uma forma de silicone (não é necessário untar nesse caso). Dica: para o pão ficar bonito, espalhe a massa com a ajuda de uma espátula, deixando a massa lisinha.

Asse por 30 minutos em forno médio, sempre observando para não deixar o pão queimar. Como o pão não tem conservantes, é recomendado que se consuma em até 3 dias. Ele pode ser congelado, bastando que se leve ao micro-ondas por alguns segundos ou asse no forno para descongelar.

Escolha uma das receitas e prepare com sua família! Além de consumi-las bem quentinhas aproveitando o sabor enriquecido, você trará inúmeros benefícios ao corpo!

O post Farelo de trigo: conheça seus benefícios e inclua-o no cardápio apareceu primeiro em Dicas de Mulher.

Exagerou no chocolate? Veja receitas detox para se recuperar rápido do feriado

iG São Paulo

Após os excessos cometidos nos quatro dias de feriado, é hora de escolher alimentos que ajudam a reequilibrar o corpo

Feriado prolongado é uma delícia, mas um perigo também! Reunidos com os amigos e a família, a tentação de abusar das refeições fartas em alimentos gordurosos – tão gostosas quanto prejudiciais – é muito grande. No feriado de Páscoa, a situação ainda é mais crítica: quem resiste aos ovos de chocolate?

Mas agora é hora de recuperar. Veja abaixo quais são os alimentos mais indicados para eliminar as toxinas e confira quatro receitas detox que auxiliam na “limpeza” corporal. 

Iogurte sacia e tem cálcio e proteína de alto valor biológico

Iogurte sacia e tem cálcio e proteína de alto valor biológico

Foto: Getty Images

Iogurte batido com chá de frutas vermelhas é ótimo para quem quer deixar o corpo em equilíbrio novamente

Iogurte batido com chá de frutas vermelhas é ótimo para quem quer deixar o corpo em equilíbrio novamente

Foto: Divulgação

Quando a infusão é preparada com frutas frescas, esta receita torna-se rica em vitaminas e minerais.

Quando a infusão é preparada com frutas frescas, esta receita torna-se rica em vitaminas e minerais.

Foto: Getty Images

Para quem está sofrendo com os excessos do feriado, uma boa indicação detox é a vitamina de acerola e pera

Para quem está sofrendo com os excessos do feriado, uma boa indicação detox é a vitamina de acerola e pera

Foto: Divulgação

A acerola é rica de vitamina C, tem papel antioxidante e combate ao envelhecimento precoce

A acerola é rica de vitamina C, tem papel antioxidante e combate ao envelhecimento precoce

Foto: Getty Images

Shake de maçã e capim-santo é uma boa receita eliminar toxinas

Shake de maçã e capim-santo é uma boa receita eliminar toxinas

Foto: Divulgação

a infusão de chá de cascas de fruta é uma boa maneira de variar o sabor sem adicionar calorias

a infusão de chá de cascas de fruta é uma boa maneira de variar o sabor sem adicionar calorias

Foto: Thinkstock/Getty Images

Outra receita boa para reequilibrar o corpo é smoothie de melão e cravo

Outra receita boa para reequilibrar o corpo é smoothie de melão e cravo

Foto: Divulgação

Melão hidrata o corpo, é rico em fibras e combate a prisão de ventre

Melão hidrata o corpo, é rico em fibras e combate a prisão de ventre

Foto: Getty Images

Iogurte batido com chá de frutas vermelhas

Ingredientes:
- 3 sachês de chá de frutas vermelhas
- 2 xícaras (chá) de iogurte batido

Preparo:
Faça um chá concentrado com os três saches em 100 ml de água filtrada. Deixe em infusão por cinco minutos. Deixe esfriar, retire os sachês e misture com o iogurte. Leve à geladeira por 20 minutos, ou até o momento de servir. Sirva gelado.

Rendimento: 2 porções

Tempo de Preparo: 10 minutos

Benefícios: quando a infusão é preparada com frutas frescas, esta receita torna-se rica em vitaminas e minerais.

Vitamina de acerola e pera

Ingredientes:

- 2 polpas congeladas de acerola (200 g)
- 2 xícaras (chá) de iogurte batido
- 1 pera madura cortada em cubos

Preparo:
Coloque as polpas de acerola, o iogurte e a pera no copo do liquidificador e bata em velocidade média até que a vitamina fique homogênea. Sirva em seguida.

Rendimento: 2 porções

Tempo de Preparo: 5 minutos

Benefício: a acerola é uma fruta bastante rica em vitamina C, que tem papel antioxidante. Uma de suas funções é o combate ao envelhecimento precoce.

Shake de maçã e capim-santo

Ingredientes:
- cascas de 3 maçãs vermelhas
- 8 talos de capim-santo (também conhecido como capim-cidreira), picados
- 2 xícaras (chá) de iogurte batido

Preparo:
Faça um chá concentrado com a casca das maçãs e as folhas do capim-santo em200 ml de água. Ferva por 10 minutos. Deixe esfriar, coe e misture ao iogurte batido. Leve à geladeira por 20 minutos ou até o momento de servir. Sirva gelado.

Rendimento: 2 porções

Tempo de Preparo: 10 minutos

Benefício: a infusão é uma boa maneira de variar o sabor sem agregar calorias. Misturada ao iogurte, é uma ótima opção de lanche entre as principais refeições, pois o iogurte tem boas quantidades de cálcio e proteína de alto valor biológico.

Smoothie de melão e cravo

Ingredientes:

- 2 polpas de melão congeladas (200 g)
- 2 xícaras (chá) de iogurte batido
- cravo em pó

Preparo:
Coloque as polpas de melão no copo do liquidificador e bata na função “pulsar” até que estejam picadas em pedaços menores. Acrescente o iogurte e bata, ainda na tecla “pulsar”, apenas para misturar. Coloque uma pitada de cravo em pó, misture e sirva em seguida.

Rendimento: 2 porções

Tempo de Preparo: 5 minutos

Benefício: o smoothie é uma bebida leve e refrescante! O iogurte sacia, enquanto o melão, rico em água e minerais, ajuda a manter o corpo hidratado.

Página 1 de 10912345678...203040...Última »