As novidades chegam primeiro aqui.
Grupo Tectonny

Saúde e Beleza

Chocolate pode fazer bem à beleza

Ligia Helena

Visto como vilão, chocolate tem propriedades que fazem bem à beleza da pele e cabelo. Saiba como aproveitar os benefícios do alimento, e veja presentes de Páscoa que fogem do óbvio

Responsável por quilos extras e espinhas indesejadas, o chocolate sempre foi visto como vilão das dietas e da pele bonita. De fato, por ser um alimento gorduroso, calórico e, muitas vezes, cheio de açúcar, deliciar-se com muito chocolate pode resultar em catástrofes quando o assunto é estética. Mas, com sabedoria, é possível transformar esse vilão em um aliado da beleza. 


Para começar, é preciso escolher o chocolate certo. Quanto mais cacau o chocolate tiver, melhor. Isso porque as melhores qualidades do chocolate vêm dessa fruta. “O cacau tem flavonoides, que são antioxidantes”, explica a dermatologista Valéria Marcondes. “Os antioxidantes inibem a morte celular, por isso têm ação antienvelhecimento, anti-inflamatória, colaboram no viço da pele”, completa Valéria, que é diretora científica da Sociedade Brasileira de Medicina Estética. 

Então fuja do chocolate ao leite e do chocolate branco, que são ricos em açúcar e gordura. Valéria alerta que no mais recente encontro da Academia Americana de Dermatologia, em março, foi discutida a responsabilidade do açúcar no envelhecimento da pele. “O açúcar se combina com proteínas do colágeno, aumentando o envelhecimento celular”, explica Valéria. Por isso hoje encontra-se produtos antienvelhecimento que tem efeito antiglicação, mas o mais prudente é diminuir o consumo de açúcar. 

Além dos antioxidantes, o chocolate rico em cacau (com mais de 60% da fruta) também tem nutrientes importantes para a beleza da pele, unhas e cabelos, como as vitaminas A, do complexo B e D, ferro e cálcio.

Outra característica positiva dos chocolates amargos é o triptofano, o aminoácido do prazer, que libera serotonina no organismo. “É por isso que depois de comer chocolate temos uma sensação de bem-estar”, explica a dermatologista Carolina Marçon. E sentir-se bem é fundamental para a beleza, certo?

Além de comer chocolate, também dá para aproveitar seus benefícios ao aplicar na pele. Mas calma, nada de passar ovo de Páscoa no rosto. Procure tratamentos, como por exemplo a máscara de chocolate sugerida pela dermatologista Renata Roxo: “a máscara tem ingredientes como manteiga de cacau e polifenóis de cacau, com efeito hidratante, emoliente, antioxidante e calmante”.

Para aproveitar a Páscoa de olho na beleza, selecionamos alguns produtos com cacau e chocolate na fórmula, ou que têm a cor dessas delícias. Veja nossa seleção e aproveite!

Ovinhos de sabonete da Empório Body Store, com glicerina 100% vegetal, extrato de cacau e fragrância de chocolate | R$ 49,90

Ovinhos de sabonete da Empório Body Store, com glicerina 100% vegetal, extrato de cacau e fragrância de chocolate | R$ 49,90

Foto: Divulgação

Polpa Desodorante Hidratante para pernas e pés Cacau, da Natura Ekos, promove ultra-hidratação e ajuda a proteger as áreas mais ressecadas | R$ 29,80

Polpa Desodorante Hidratante para pernas e pés Cacau, da Natura Ekos, promove ultra-hidratação e ajuda a proteger as áreas mais ressecadas | R$ 29,80

Foto: Divulgação

Que tal uma sombra cor de chocolate? Ombré Hypnôse, da Lancôme, tem Pro-Xylane™, que mantém as pálpebras suaves e a pele com textura sedosa | R$ 129

Que tal uma sombra cor de chocolate? Ombré Hypnôse, da Lancôme, tem Pro-Xylane™, que mantém as pálpebras suaves e a pele com textura sedosa | R$ 129

Foto: Divulgação

Loção Corporal Encanto Glamour à Flor da Pele Cacau e Vinho do Porto, da Avon, tem aroma de chocolate e vinho | R$ 25,99

Loção Corporal Encanto Glamour à Flor da Pele Cacau e Vinho do Porto, da Avon, tem aroma de chocolate e vinho | R$ 25,99

Foto: Divulgação

Sabonete decorado de coelhinho da Kapeh Cosméticos | R$ 8,90

Sabonete decorado de coelhinho da Kapeh Cosméticos | R$ 8,90

Foto: Divulgação

Color Mask Chocolate, da Mutari, intensifica, tonaliza e reaviva a cor dos cabelos castanhos | R$ 44,20

Color Mask Chocolate, da Mutari, intensifica, tonaliza e reaviva a cor dos cabelos castanhos | R$ 44,20

Foto: Divulgação

Hidratante Corporal Chocolate & Leite, da Facinatus, com manteiga de cacau na fórmula | R$ 7,99

Hidratante Corporal Chocolate & Leite, da Facinatus, com manteiga de cacau na fórmula | R$ 7,99

Foto: Divulgação

Seda Pro Natural Revitalização e Reposição de Massa, da Seda, ajuda a restaurar as rachaduras dos fios | R$ 5,99

Seda Pro Natural Revitalização e Reposição de Massa, da Seda, ajuda a restaurar as rachaduras dos fios | R$ 5,99

Foto: Divulgação

Sombra-lápis Cy° Big-n-Eacy, da Cyzone, na cor Eacy Brown, é um toque de chocolate na maquiagem | R$ 16,50

Sombra-lápis Cy° Big-n-Eacy, da Cyzone, na cor Eacy Brown, é um toque de chocolate na maquiagem | R$ 16,50

Foto: Divulgação

Sombra Chocolate Kiss, da Mary Kay, de cor intensa e longa duração | R$21

Sombra Chocolate Kiss, da Mary Kay, de cor intensa e longa duração | R$21

Foto: Divulgação

Hidratante Desodorante Corporal Overdose Blanc, da Racco, tem perfume de chocolate branco | R$ 32,90

Hidratante Desodorante Corporal Overdose Blanc, da Racco, tem perfume de chocolate branco | R$ 32,90

Foto: Divulgação

Coleção Doces Delícias, da Alfaparf, traz esmaltes com doces cores de chocolate | R$ 7 (cada)

Coleção Doces Delícias, da Alfaparf, traz esmaltes com doces cores de chocolate | R$ 7 (cada)

Foto: Divulgação


Como encontrar
Alfaparf – 0800 0212 652
Avon – 0800 708 2866
Body Store – (51) 3024.6053
Facinatus – (62) 3594 5003.
Kapeh – (35) 3265-1453
Lancôme – 0800 701 7273
Mary Kay – 4003-4620 (para capitais e regiões metropolitanas) ou 0800 16 31 13 (para demais regiões)
Mutari – (31) 3476-7377
Natura – 0800-115566
Racco – 0800 789 10 11
Seda – 0800-707-9911


Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe começa semana que vem

Agência Brasil

Meta é imunizar pelo menos de 1,250 milhão de pessoas; campanha vai até o dia 9 de maio

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe começa na próxima terça-feira (22). No Rio, a Secretaria Municipal de Saúde, vai vacinar idosos, gestantes, crianças de seis meses a 4 anos, mulheres no período de até 45 dias após o parto, indígenas, presos, doentes crônicos e profissionais de saúde, uma população alvo que totaliza 1,563 milhão de indivíduos. A meta é imunizar pelo menos 80% de cada um dos grupos prioritários, o que representa cerca de 1,250 milhão de pessoas. A campanha vai até o dia 9 de maio.

Mais de 200 salas de vacinação em todos os Centros Municipais de Saúde e Clínicas da Família estarão oferecendo a vacina, que protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no inverno passado (H1N1; H3N2 e influenza B), como recomenda a Organização Mundial da Saúde (OMS). As unidades funcionarão de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. No sábado, (26), será o Dia de Mobilização Nacional contra a Gripe, quando serão montados postos de vacinação avançados em igrejas, centros comunitários, creches, entre outros locais.

Leia também: ‘Não vacino meus filhos. Mas preciso mentir para não ser processada’

A novidade da campanha deste ano é a ampliação do público-alvo infantil. Na campanha passada, apenas as crianças de seis a 23 meses recebiam a vacina. Este ano a faixa etária foi estendida até os 4 anos. As crianças precisarão tomar duas doses da vacina, sendo a segunda administrada nos postos de saúde 30 dias após a primeira. Para os portadores de doenças crônicas é necessária a apresentação de prescrição médica com a indicação do imunizante. Mulheres no pós-parto devem apresentar algum documento que comprove terem dado à luz no período previsto pela campanha.

A vacina é segura e é a melhor forma de evitar doenças graves, internações ou mesmo óbitos por complicações associadas à gripe. Estudos demonstram que a imunização pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza. Pessoas febris, portadores de doenças neurológicas, com história de alergia grave relacionada a ovo e reação a doses anteriores devem consultar um médico antes de tomar a vacina.

Como emagrecer com saúde: 12 dicas e orientações importantes

como emagrecer com saude Como emagrecer com saúde: 12 dicas e orientações importantes

Foto: Thinkstock

Perder peso não é a tarefa mais difícil do mundo, mas, quem já passou por um processo de emagrecimento sabe: exige dedicação, paciência e perseverança. Porém, com certeza vale a pena!

A pessoa que decide que quer emagrecer, seja por uma questão estética, seja por uma preocupação com a saúde, deve, em primeiro lugar, procurar a ajuda de um(a) nutricionista que possa orientá-la nesse processo. Deve, também, ter em mente que “dietas malucas” e/ou radicais, que prometem resultados quase que instantâneos, são prejudicais e dificilmente oferecerão uma perda de peso eficaz e definitiva.

Como a maioria das pessoas já sabe, emagrecer não tem segredo: é fruto de uma boa alimentação aliada à prática regular de atividades físicas. Porém, algumas orientações são importantes e podem ajudar nesse processo! Confira as dicas a seguir:

1. Siga uma dieta saudável

A primeira orientação não poderia ser outra. Ninguém emagrecerá de forma saudável e definitiva se não seguir uma alimentação equilibrada.

Carina Amorim de Sá, nutricionista da Academia Contours, explica que alimentos ricos em fibras solúveis e insolúveis – presentes em pães 100% integrais, arroz integral, quinua, linhaça, chia em grãos, aveia, vegetais como alface, couve, escarola etc. – não podem faltar no cardápio de quem está buscando emagrecer. “Pois, além de serem mais nutritivos, vão facilitar o funcionamento do intestino e aumentar a saciedade, levando à redução do consumo calórico”, diz.

De maneira alguma podem faltar frutas, verduras e legumes variados na dieta, pois, ressalta a nutricionista, essas são as melhores fontes de vitaminas, minerais e antioxidantes, importantes para manter o metabolismo ativo, aumentar a produção de energia e facilitar a perda de peso.

“Boas fontes proteicas, como frango, ovos e peixes, são importantes para a manutenção da massa muscular e para propiciar maior saciedade, evitando o alto consumo calórico”, acrescenta Carina.

como emagrecer com saude 1 Como emagrecer com saúde: 12 dicas e orientações importantes

Foto: Thinkstock

2. Coma de três em três horas

Carina de Sá destaca que comer de três em três horas mantém o metabolismo ativo. “Ou seja, o corpo evita ‘poupar’ calorias para exercer suas atividades diárias, pois entende que sempre vai chegar alimentos para produção de energia”, diz.

A nutricionista explica que isso é interessante pois, até mesmo quando a pessoa “extrapola” nas calorias, nos dias “livres” da dieta, o corpo, por estar com o metabolismo ativo, vai ter mais facilidade em gastar as calorias extras consumidas.

Além disso, acrescenta Carina, se ficar em jejum por mais de três horas, o corpo libera um hormônio chamado cortisol, que causa aumento da gordura abdominal e quebra da massa muscular. “Isso é muito ruim, pois deixa o metabolismo mais lento e dificulta a perda de peso”, destaca.

3. Nunca se esqueça de se alimentar

Algumas pessoas têm dificuldades em seguir a orientação de comer de três em três horas, seja porque acabam esquecendo, por falta de tempo ou até porque não sentem fome nesse período relativamente curto.

Porém, não há escapatórias! Quem ainda não tem o costume de comer de três em três horas e quer emagrecer de forma saudável, deverá criar este hábito.

“Deve-se pensar no alimento como remédio, ‘comer para emagrecer’, é essa a ideia. Então, coloque avisos no celular ou na agenda para não se esquecer de se alimentar”, orienta Carina de Sá.

“Mesmo que a pessoa comece comendo bem pouco, o corpo vai se adaptando e começa a sentir fome nos horários estabelecidos. E assim, o metabolismo vai acelerando e, daí para frente, vai ser difícil ficar sem comer a cada três horas”, acrescenta a nutricionista.

4. Beba bastante água

Carina de Sá destaca que a água é essencial para produção de energia: ela ajuda a transformar o alimento em energia, ajuda a transportar esses nutrientes e o oxigênio até as células. “É desintoxicante, além de evitar o inchaço, retenção de líquidos, enxaqueca e fadiga”, explica.

A nutricionista orienta a pessoa a começar e terminar o dia já bebendo um copo de água. “Ao longo do dia, se preciso, também coloque lembretes no celular a cada uma hora com o aviso para tomar água. Deixe uma garrafa de 500ml ou de 1,5l de água o mais perto possível do local de trabalho e, sempre que passar por um bebedouro, encha e beba um copo de água”, sugere.

“Atenção! Não espere a sede chegar para beber água. Ela já é um sinal da desidratação, ou seja, seu corpo já está sofrendo com a falta de água”, acrescenta a profissional.

como emagrecer com saude 2 Como emagrecer com saúde: 12 dicas e orientações importantes

Foto: Thinkstock

5. Evite alimentos com alto índice glicêmico e pobres em nutrientes

Seguir uma alimentação saudável sugere, também, “fugir” de alguns alimentos. “É preciso evitar aqueles que possuem alto índice glicêmico e são pobres em nutrientes, como os alimentos refinados: arroz branco, pão branco, doces e açúcares em geral”, diz Carina de Sá.

6. Evite alimentos industrializados, frituras e embutidos

A nutricionista Carina destaca que é importante evitar ainda alimentos industrializados, como sorvetes, miojos, biscoitos recheados, bolos, margarina e chocolate ao leite. “Eles são ricos em gorduras saturadas e praticamente não possuem nutrientes”, diz.

A pessoa que quer emagrecer também precisa ficar longe de frituras, queijos amarelos, embutidos (como presunto) e do sal em excesso.

7. Evite tomar sucos industrializados e refrigerantes

Em relação às bebidas, destaca Carina de Sá, é preciso evitar ao máximo os sucos de caixinha industrializados – pois estes são riquíssimos em açúcar –, além de fugir dos refrigerantes.

8. Evite ou diminua o consumo de bebidas alcoólicas

Muitas pessoas têm o hábito de beber cerveja (ou outra bebida alcoólica) no final de semana, o que, certamente, pode atrapalhar o bom andamento da dieta.

“Nesse caso, estipule uma quantidade fixa da sua bebida favorita, por final de semana, e comprometa-se a não ultrapassar sua meta. Claro, ela deve ser menor do que a quantidade de costume. Assim, a cada final de semana, reduza um pouco até se adaptar a beber menos”, orienta Carina de Sá.

A nutricionista destaca que é importante evitar a restrição completa e radical da bebida em questão. “Outra orientação importante é, a cada copo de bebida alcoólica, consumir um copo de água. Assim você bebe menos e ainda evita a desidratação”, acrescenta.

como emagrecer com saude 3 Como emagrecer com saúde: 12 dicas e orientações importantes

Foto: Thinkstock

9. Escolha atividades físicas adequadas

Não tem como fugir: quem quer emagrecer precisa, também, se exercitar! “Parece até uma equação simples de se resolver: se pensarmos em ingerir menos alimentos calóricos (gorduras e processados) e dar preferência a refeições menos calóricas (fibras e carne magras), e aumentarmos o gasto calórico, com atividades prazerosas, a perda de peso é certa. Mas, a chave para um emagrecimento saudável está em uma boa alimentação aliada a uma atividade física monitorada e, principalmente, voltada para o corpo feminino”, destacam Fabíola Dias e Flávia Freitas, professoras da Academia Contours.

Ainda de acordo com as profissionais, as aulas circuitadas em academias especializadas para mulheres, juntamente com aulas que mesclam movimentos de luta (boxe, Karatê e outras), têm um alto gasto calórico. “Por exemplo, o circuito bem elaborado chega a ter um gasto energético de 665 calorias por hora, se feito três vezes por semana. E, nas aulas de luta, como o Body Combat, a perda é de 495 a 700 calorias por hora”, explicam Fabíola e Flávia.

“Para se ter uma ideia de comparação, na corrida, se houver variação de terreno e instabilidade de percurso, a perda calórica é de, no máximo, 600 calorias por hora, se for mantida uma velocidade média de 9 km/h”, acrescenta as professoras.

10. Reserve pelo menos 30 minutos para praticar atividades físicas

Atualmente, com a correria do dia a dia, muitas pessoas reclamam que têm pouco tempo para se exercitarem. Porém, para emagrecer de maneira saudável, é fundamental que se mantenha a regularidade na atividade física.

“Se a pessoa conseguir manter a atividade por 30 minutos, 3 vezes na semana, por exemplo, os resultados serão surpreendentes”, destacam as professoras Fabíola e Flávia.

11. Se preferir, caminhe

Algumas pessoas, simplesmente, não gostam de ir a academias. Porém, ainda assim não há desculpas para elas deixarem de se exercitar.

“A caminhada é uma excelente atividade aeróbica”, destacam Flávia e Fabíola. “Nesse caso, é necessário manter a regularidade de caminhar 3 vezes na semana, por 30 minutos”, acrescentam as professoras.

como emagrecer com saude 4 Como emagrecer com saúde: 12 dicas e orientações importantes

Foto: Thinkstock

12. Não se esqueça da alimentação pré e pós-treino

Carina de Sá explica que a alimentação rica em nutrientes no pré-treino potencializa a execução do exercício, sem deixar a pessoa fadigada durante o treino, além de evitar o catabolismo muscular. “Assim você não perde sua massa magra, que é a mais ativa em relação ao gasto energético”, destaca.

No pós-treino, explica a nutricionista Carina, a alimentação é importante para garantir uma boa recuperação muscular, ou seja, a reposição de glicogênio para os músculos, e evitar novamente sua degradação. “Além dos nutrientes como vitaminas, minerais e antioxidantes, importantes também para manter uma boa produção de energia pelo organismo e amenizar os processos inflamatórios gerados pela atividade física”, diz.

13. Mantenha o foco nos benefícios da perda de peso

Como já foi citado, uma dieta de emagrecimento exige dedicação e foco. Se, durante o processo, por um motivo ou outro, você tiver vontade de desistir, afaste todo o pensamento negativo!

Foque em todos os benefícios que a perda de peso proporcionará: além de melhorar sua autoestima, o emagrecimento trará mais saúde e bem-estar, já que deixará sua pressão sob controle e diminuirá significativamente os riscos de diabete, derrame e doença cardiovascular.

Enfim, não faltam bons motivos para você aderir a uma dieta saudável! E agora você já tem ótimas dicas para isso. Mas, não se esqueça de começar procurando por profissionais que possam ajudá-la nesse processo!

O post Como emagrecer com saúde: 12 dicas e orientações importantes apareceu primeiro em Dicas de Mulher.

‘Coração de bolso’ é alternativa para quem espera por transplante

Elioenai Paes

Uso é para pacientes com insuficiência cardíaca grave; sem cobertura de SUS e planos de saúde custo chega a R$ 300mil

Não tem muito como escapar: quem sofre de insuficiência cardíaca grave e precisa de transplante para sobreviver, aguarda cerca de um ano por um coração novo. Enquanto isso, é obrigado a ficar internado em UTI, recebendo medicações fortes e com uma máquina ao lado do leito, que faz as vezes do órgão com deficiência.

Mas um novo aparelho, ainda recente no Brasil, pode trazer um pouco mais de qualidade de vida nesse tempo de espera: é o “coração de bolso”, um coração artificial que cabe em uma pochete. Mas, por enquanto, só está disponível a quem literalmente tem um “bolso” para bancar. O aparelho, que custa até R$ 300 mil, ainda não está disponível nem no SUS nem no rol de procedimentos obrigatórios dos planos de saúde. Para tê-lo, só pagando tudo particular. 

O Suporte Avançado de Assistência ao Ventrículo Esquerdo (LVAD, na sigla em inglês), como o aparelho é chamado, permite todas as funcionalidades daquele que atava o paciente à UTI, com a diferença de que pode ser levado a todo lugar.

“Já havia um coração portátil, que permitia que o paciente saísse da UTI, mas era ainda muito grande. Era preciso transportar as baterias em um carrinho, tipo esses de carregar malas em aeroporto”, explica Ricardo Pavanello, supervisor de cardiologia do Hospital do Coração (HCor).

Para implantar o coração portátil, o paciente passa por uma cirurgia. “É bem menos invasiva do que uma cirurgia clássica”, diz Pavanello. Com o aparelho implantado no coração, dois tubos saem para o lado externo do corpo, onde o coração é oxigenado. 

Diferente do marcapasso, que só estimula o coração eletricamente para regular o ritmo, o dispositivo portátil tem força para contrair e relaxar o órgão, impulsionado pela bateria, carregada no cinto do paciente ou em uma pequena pochete. O dispositivo, que é elétrico, pode ser carregado durante a noite, enquanto a pessoa dorme. Durante o dia, vida normal.

Cenário

A insuficiência cardíaca, segundo Pavanello, é a primeira causa de internação no Brasil, embora não seja a primeira de morte. “É a que mais ocupa leitos hospitalares no País”, explica. E a condição, que afeta principalmente o ventrículo esquerdo e deixa o coração fraco para bombear e sangue, se dá por várias razões: doenças nas artérias coronárias, no músculo do coração, processos inflamatórios e infecciosos, doenças das válvulas cardíacas (aórtica e mitral).

Um exemplo popular é o personagem de Reinaldo Gianecchini na novela Em Família, que sofre de uma doença que provoca a insuficiência cardíaca.

Quando o grau da insuficiência é mais leve, não se usa o coração portátil. Opta-se por pontes nas artérias coronárias, troca de válvulas do coração e correções dos músculos cardíacos. Quando todas as tentativas falham e é hora de pegar a fila para ganhar um coração novo, é que o “coração de bolso” entra em cena.

Uma opção que precisa levar em conta o risco de infecção. Os dois tubos que entram no tórax do paciente (para que o aparelho possa bombear o sangue do coração) precisam de extrema higiene e cuidado. A negligência escancara as portas para bactérias se instalarem. 

Mãe fotografa filho e cão com roupas iguais

iG São Paulo

Série de fotos da dupla usando acessórios idênticos faz sucesso na internet

É quase impossível não abrir um sorriso ao ver fotos de Jasper e Zoey. A intimidade com a câmera é visível e os cliques são feitos em poucos minutos. Parece até que estamos falando de modelos profissionais, mas, na verdade, quem posa para os ensaios fotográficos são um bebê de 10 meses e uma cachorra adotada pela família.

O bebê Jasper tem 10 meses e a cadela Zoey tem sete anos

O bebê Jasper tem 10 meses e a cadela Zoey tem sete anos

Foto: Grace Chon

Segundo a mãe fotógrafa Grace Chon, os dois adoram tirar fotos

Segundo a mãe fotógrafa Grace Chon, os dois adoram tirar fotos

Foto: Grace Chon

Como Jasper começou a engatinhar recentemente, Grace precisa ser ainda mais rápida para clicar a dupla

Como Jasper começou a engatinhar recentemente, Grace precisa ser ainda mais rápida para clicar a dupla

Foto: Grace Chon

Grace conta que Jasper adora uma câmera e sempre sorri para as lentes

Grace conta que Jasper adora uma câmera e sempre sorri para as lentes

Foto: Grace Chon

Zoey tem sete anos e foi adotada pela família que mora em Los Angeles, Estados Unidos

Zoey tem sete anos e foi adotada pela família que mora em Los Angeles, Estados Unidos

Foto: Grace Chon

Os dois modelos usam faixas coloridas na cabeça

Os dois modelos usam faixas coloridas na cabeça

Foto: Grace Chon

'Comecei a fazer as fotos quando meu filho Jasper tinha oito meses e eles adoram', conta Grace

‘Comecei a fazer as fotos quando meu filho Jasper tinha oito meses e eles adoram’, conta Grace

Foto: Grace Chon

“Comecei a fazer as fotos quando meu filho Jasper tinha oito meses e eles adoram. Zoey fica sentada e paradinha e Jasper acha muito legal tirar fotos e sempre sorri direto para a câmera”, afirma a fotógrafa profissional Grace Chon. A família vive em Los Angeles, nos Estados Unidos.

Grace conta que uma recente mudança no comportamento do filho se revelou um verdadeiro desafio. “Ele começou a engatinhar e preciso ser ainda mais rápida para conseguir a imagem”, brinca. Ela ressalta que, enquanto os dois modelos se divertirem durante o ensaio fotográfico, pretende continuar o projeto.

>> Você pode acompanhar o trabalho no Tumblr de Grace, no perfil @thegracechon do Instagram ou acessando o site da fotógrafa www.gracechon.com


Veja ainda:


Páscoa é tema de ensaios fotográficos para crianças







Fotógrafo homenageia pintores clássicos com retratos da filha de cinco anos








Pai retrata crescimento da filha em situações perigosas e divertidas







>>> Assine a newsletter do Delas , curta nossa página no Facebook e siga o @Delas noTwitter <<<

Bons ouvintes se saem melhor na hora de resolver conflitos

Giovanna Tavares

Saber escutar é uma das principais características de um líder. Conheça as vantagens de ser um bom ouvinte

Para bom entendedor, meia palavra basta, diz a sabedoria popular. Ela reflete uma das características mais inconfundíveis dos bons ouvintes: a capacidade de compreensão. Esse comportamento, baseado em uma postura atenta e ponderada, porém ativa, é capaz de melhorar os relacionamentos e inspira credibilidade e sabedoria no ambiente profissional.

Leia mais: Como a postura influencia sua personalidade

“É muito comum ver uma pessoa que parece escutar o outro, mas está com a cabeça longe, pensando em outras coisas. Quem não presta atenção ao diálogo já vai logo imaginando argumentos para contradizer o outro, criando conflitos. O bom ouvinte, ao contrário, abre mão de qualquer julgamento e colhe todas as informações que precisa, resultando numa conversa tranquila, sem atritos”, explica Cibele Nardi, coach e especialista em comportamento.

Pessoas muito dispersas e com uma postura arrogante têm dificuldade para abrir espaço para o diálogo horizontal e acabam funcionando como um “repelente” de relacionamentos. O extremo oposto também não é saudável: todo mundo gosta de se sentir que é compreendido, por isso a escuta passiva pode ser interpretada como uma atitude desinteressada do ouvinte.

Faça o teste: Você é introvertida ou extrovertida?

Ser extrovertido, porém, não significa ser incapaz de prestar atenção ao que os outros falam. “Para não correr esse risco, é necessário ser uma pessoa empática, ou seja, saber se colocar no lugar do outro. Mesmo que você tenha vontade de falar e goste de interagir, é preciso saber o momento certo para falar”, ressalta Eduardo Ferraz, consultor em gestão de pessoas.

Liderança

Essa habilidade também é vista como uma vantagem estratégica no mercado de trabalho. “Os grandes negociadores são bons ouvintes, você nunca vai escutar um negociador matraca, que não dá atenção aos seus clientes. Essas pessoas prestam atenção também aos gestos do outro e não ficam alheios ao que está acontecendo, por isso eles costumam se sair melhor em situações de conflito”, acrescenta Eduardo Ferraz.

Conheça: Os quatro gestos que ajudam a definir se uma pessoa é confiável

Além de terem uma postura muito mais lógica e racional no meio profissional, bons ouvintes são líderes que inspiram confiança, credibilidade, respeito e sabedoria.

“Você transmite a imagem de alguém que faz a diferença e traz harmonia aos relacionamentos. Na função de líder, essa pessoa vai ser mais reconhecida e conseguirá obter mais resultados da própria equipe. Todo mundo quer conviver com pessoas assim”, afirma Cibele Nardi.

Ego controlado

Como eles valorizam a escuta ativa e evitam julgamentos precipitados durante um diálogo, as expectativas em relação a outra pessoa acabam sendo reduzidas. Bons ouvintes não se deixam levar pelo próprio ego, que na maioria das vezes só causa sofrimento a todos os envolvidos, sejam eles ouvintes ou não.

Com o ego controlado e julgando menos as ideias e atitudes das outras pessoas, ou seja, trabalhando apenas com situações e exemplos concretos, baseados no que as outras pessoas realmente disseram, os bons ouvintes conseguem lidar melhor com situações de frustração.

Humildade e harmonia

“Uma pessoa que atropela a fala dos outros acaba passando uma imagem arrogante, é falta de educação. Ninguém gosta de conversar com pessoas assim”, pontua Manuela Rodriguez, especialista em comunicação e comportamento. Humildade é um traço recorrente entre as pessoas que sabem ouvir. Em vez de impor uma ideia ou argumento aos outros, eles buscam agregar algo de bom à discussão, ou apenas tirar alguma lição importante daquela conversa.

Aprenda: Como ganhar uma discussão

A principal consequência dessa atitude é que conflitos e brigas por conta de opiniões diferentes são evitadas, tornando as relações mais harmoniosas e construtivas.

“Essa é uma postura que pode ser levada até para o relacionamento a dois. Quantas vezes os casais não começam uma briga por um motivo bobo, mas transformam aquilo em algo ainda maior, por não terem essa humildade?”, questiona Manuela Rodriguez.

Sabedoria

Melhorar a capacidade de ouvir os outros é amadurecer, tornar-se uma pessoa menos apegada em relação às próprias ideias. Ser sábio, portanto, é compreender que o mundo não pensa exatamente como você e não há nada de errado com isso. Todos podem contribuir de alguma maneira durante uma conversa, mesmo que as ideias sejam conflitantes.

O primeiro passo para ser um bom ouvinte é ter consciência de que essa habilidade precisa ser trabalhada, ou seja, vale deixar a vaidade de lado e assumir que tem escutado os outros com pouco empenho e atenção.

“A partir daí, o importante é estabelecer metas para diminuir a ansiedade e melhorar a concentração, atributos fundamentais para quem quer prestar mais atenção aos outros. Ser uma pessoa mais segura também é válido, pois as ideias param de se basear no achismo e, consequentemente, julga-se menos”, finaliza Cibele Nardi.

Leia mais notícias de comportamento

Meu filho é um líder?

Raquel Paulino

Desenvolvimento da liderança depende do estímulo social vivenciado pela criança – que pode, inclusive, ser autoritária, exibicionista ou birrenta, e não líder

Já com o pensamento alguns anos adiante, muitos pais sentem um orgulho enorme ao verem seus filhos no comando de brincadeiras ou atividades com outras crianças. Enxergam ali pequenos “líderes natos” que, preveem, se tornarão profissionais muitíssimo bem-sucedidos e até Presidentes da República no futuro. Por essa linha de raciocínio, líderes nascem líderes e o tempo se encarregará de reconhecer e recompensar essa característica. Mas não é bem assim que as coisas acontecem.

Em primeiro lugar, é importante entender que ser líder é muito mais do que estar à frente das ações. “Influenciar pessoas é uma das características de um líder, mas é necessária uma combinação de fatores para ser líder de fato”, explica a coach parental e educacional Daniela Monteiro, que detalha: “Alguns deles são a capacidade de lidar com problemas, de enxergar as situações amplamente, um alto senso de justiça e de coletividade, buscar sempre pensar no melhor para o grupo, saber se expressar e, principalmente, saber ouvir, não ter medo de perguntar ou expor suas ideias e arriscar, ser o primeiro”.

Vanda Minini, doutora em psicologia da educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), complementa: “A criança líder acolhe e sabe que todos são importantes, porque cada um pode saber mais de um assunto que o outro. Ela também motiva os colegas, tem carisma, é curiosa, criativa, comunicadora. Não age intempestivamente e sabe quando, o que e para quem falar”.

Leia também:
Meu filho é melhor que o seu?
O que aprendi ao ser mãe

A auditora contábil Fernanda Sukadolnik começou a notar indícios de liderança em sua filha, Sophie, de cinco anos, quando a garota tinha perto de dois anos de idade. “Ela sempre foi muito requisitada pelas crianças, mesmo por aquelas que não a conhecem, em playgrounds. Acho que isso se deve ao fato de ela gostar de brincadeiras ousadas, ser muito curiosa e saber compartilhar os brinquedos”, diz.

Quando Sophie entrou na escola, tais características continuaram se manifestando e novas atitudes que indicam uma personalidade de líder surgiram. “Ela adora ser a organizadora da fila, distribuir os guardanapos na hora do almoço, segurar a porta para todos passarem. Tenho a casa sempre cheia de amiguinhos dela depois da escola. Ela divide naturalmente os papeis nas brincadeiras, de acordo com o que cada um gosta mais de fazer”, conta Fernanda.

Ninguém nasce líder

Na opinião da mãe, Sophie não nasceu líder; ela acredita que “as características naturais da criança geram essa liderança”. Segundo as especialistas, ela está certa. “Ninguém nasce líder. Todos esses comportamentos são aprendidos nas relações sociais que as crianças estabelecem com outras crianças e com os adultos”, afirma Vanda.

Isso quer dizer que mesmo que o pequeno nasça com as habilidades de um líder, não existe uma garantia de que elas desabrocharão. “Elas tanto podem ser desenvolvidas ao longo da infância, adolescência e vida adulta quanto simplesmente se tornar cada vez menos frequentes, de forma que nunca seja obtida uma liderança de fato”, esclarece a coach Daniela. Para ter mais chances de amadurecer a liderança dos filhos, ela orienta que os pais prestem atenção a dois aspectos: a repetição e os dois lados da circunferência.

“Quanto mais a criança repete, mais consolida o aprendizado. É como uma espiral ascendente, em que mesmo que a atividade seja repetida, nunca estará no mesmo lugar”, exemplifica. “Já a parte dos dois lados da circunferência é como na música [‘Certas Coisas’] do Lulu Santos, em que ele canta que ‘não haveria luz se não fosse a escuridão’. Ao desenvolver a personalidade, as crianças testam os dois lados. São momentos de egocentrismo e de coletivo, de ser líder e de ser liderado. O feedback, em forma de aprovação ou reprovação, faz com que ela tenda para um dos lados. Logo, os traços da liderança devem ser incentivados e aperfeiçoados ao longo da vida do indivíduo”.

Amor e exemplos positivos

Diante do conhecimento de que o convívio social é fundamental no desenvolvimento da liderança, conclui-se que é possível tornar uma criança líder. Mas sem forçar a barra e com muito amor e exemplos positivos. “É importante um ambiente preparado, sadio. A criança deve ser exposta a bons modelos e incentivada a entender o senso de justiça, a pensar no coletivo, a assumir os próprios erros, a se tornar autônoma”, lista Daniela.

Vanda ressalta que “para que uma criança seja líder, ela precisa ter autoestima, o que não é tarefa fácil diante desta sociedade consumista. Só com exemplos de liderança ela poderá modelar seu comportamento, pois aprendemos pelo exemplo. Não tem lógica esperar uma transformação sem parâmetros”.

Autoritarismo, exibicionismo e birra

No desespero por ter filhos líderes, muitos pais acabam fazendo confusão e até prejudicando as crianças. O erro mais comum, de acordo com Daniela e Vanda, é achar que ser líder é ocupar um lugar de destaque, convencer os outros a fazerem algo. “Muitos adultos fazem tamanha pressão que a criança torna-se autoritária para agradá-los. Às vezes se transformam nos famosos ‘valentões’”, diz Daniela.

Outro equívoco corriqueiro é achar que o filho exibicionista é líder e estimular esse comportamento. “São crianças que necessitam de reconhecimento, bajulação e ‘fama’ para se sentirem bem, que acham que tudo delas é melhor. Elas agem com a intenção de se mostrar para os outros, não de conquistar algo para si. Humilham e não acolhem”, alerta Vanda. “O líder não precisa se exibir, pois seu empenho é reconhecido naturalmente”, completa.

Por fim, há a birra confundida com a liderança: a criança que, de tanto insistir que quer algo, consegue. E os pais, incapazes de lidar com essa insistência, preferem acreditar estar diante de um líder. “A criança líder não tem necessidade de persuasão. Muito pelo contrário: ela encanta quem está por perto. A birra nada tem a ver com liderança, é um comportamento ensinado como o autoritarismo e o exibicionismo”, afirma Vanda. “O líder pensa no todo, a criança birrenta pensa em satisfazer sua vontade momentânea. Crianças líderes argumentam, as birrentas choramingam e esperneiam”, finaliza Daniela.

Leia mais:
Como lidar com um filho que pratica bullying?
Seu filho sofre bullying? Pense um pouco antes de agir

>>> Assine a newsletter do Delas , curta nossa página no Facebook e siga o @Delas noTwitter <<<

Um terço das crianças com menos de três anos de idade tem excesso de peso

iG São Paulo

Apenas 20% das mães têm a percepção do problema; dados ainda apontam evidências de atraso no desenvolvimento em 28% e anemia por deficiência de ferro em 38% das crianças

Uma avaliação nutricional de 358 crianças menores de três anos no município de Itupeva, no interior de São Paulo, revelou que quase um terço delas já apresenta excesso de peso, mas apenas 20% das mães têm a percepção do problema. Os dados ainda apontam evidências de atraso no desenvolvimento em 28% e anemia por deficiência de ferro em 38% das crianças avaliadas.

O levantamento foi realizado entre fevereiro e abril de 2013 por pesquisadores da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (USP), coordenados pela professora Elizabeth Fujimori. Resultados do estudo foram apresentados em março durante o I Seminário de Pesquisas sobre Desenvolvimento Infantil, realizado na Fapesp.

“Quando os pais não reconhecem o problema [de sobrepeso], levam muito tempo para buscar ajuda. Qualquer alteração na nutrição nessa fase de intenso crescimento pode afetar a criança de forma muitas vezes irreversível. A chance de crescer com excesso de peso e se tornar um adolescente e um adulto obeso e com riscos cardiovasculares aumenta muito”, afirmou Fujimori.

Cenário: Cardápio familiar gorduroso é principal causa da obesidade infantil

De acordo com a pesquisadora, o estudo tinha o objetivo de avaliar os efeitos do aconselhamento nutricional – por meio da estratégia de Ação Integrada às Doenças Prevalentes na Infância (Aidpi) – sobre a prática alimentar, o crescimento, o desenvolvimento infantil e ainda sobre a capacidade das mães de reconhecerem o estado nutricional das crianças.

Segundo Fujimori, o índice de anemia encontrado no levantamento inicial é muito similar ao de um estudo anterior, de 2001. “Foi uma surpresa ver que os índices continuam altos mais de dez anos depois, apesar de políticas públicas como a da fortificação de farinhas com ferro e a suplementação medicamentosa profilática”, afirmou.

Combate: OMS cobra regras mais rígidas de combate à obesidade infantil

Os resultados preliminares apontam que apenas 45% das crianças na faixa dos 6 a 18 meses recebem a suplementação medicamentosa profilática de ferro como preconizado pelo Ministério da Saúde. Apenas 40% recebem regularmente o medicamento Aditil, que combina as vitaminas A e D. Ambos os suplementos são fornecidos gratuitamente na rede pública. Mesmo com a prescrição desses suplementos, há crianças que podem não usá-los rotineiramente, informou a pesquisadora.

A pesquisa, intitulada “Efeito do aconselhamento nutricional da estratégia Aidpi sobre práticas alimentares, estado nutricional e desenvolvimento infantil”, conta com financiamento da FAPESP e da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal.

Outros dados

Outro levantamento apresentado nesta semana mostrou que a obesidade e o sobrepeso infantil cresceram 1.000% no Brasil em 40 anos. Dados do Estudo Internacional de Obesidade Infantil mostram que 39% deas crianças brasileiras estão mais pesadas do que deveriam. 

Precaução: Cientistas criam equação que avalia risco futuro de obesidade na criança

Segundo os dados observados no estudo, quanto mais jovens são as crianças, menos exercício praticam. Sem o prazer da atividade física na infância, é provável que sejam adultos avessos à prática. Há 90% de possibilidades de uma criança sedentária ser também um adulto sedentário.

* Com Agência Fapesp

Quando uma mulher confessa que faz bastante tempo desde sua última vez

HDhfKNI

opa, tamusaí rsrs

Discutindo com uma mulher

discutindo com uma mulher

quem tem experiência na área sabe que isso é mais que fato…não tem jeito…aceite.

Página 1 de 10612345678...203040...Última »